Já estão à venda os novos cartões-postais Resende de ORo

terça-feira, 31 de maio de 2005

Blogdica

Para visualizar todas as matérias publicadas no RA, clique nos meses disponíveis em ARQUIVO, no lado direito da página, logo abaixo do RESUMO.

Share

domingo, 29 de maio de 2005

Fotoblog comemorativo


Pôr-do-sol em Porto Seguro, ponto de partida do trekking

Para comemorar os meus 20 anos de profissão, achei por bem republicar as melhores fotos das viagens que fiz a serviço do antigo Caderno de Turismo (atual revista Boa Viagem) de O Globo, e da Revista Turismo Brasil Service, entre os anos de 1985 e 1996.

Muitas dessas matérias (textos e fotos) foram também publicadas em outras revistas, como a Geográfica Universal, Diálogo (dos laboratórios Roche) e Caminhos da Terra.

As primeiras fotos – referentes ao Trekking Porto Seguro-Prado, caminhada de 130 quilômetros pelas praias do Sul da Bahia, realizada em fevereiro de 1987 – já estão expostas no meu fotoblog. Dê uma espiadinha!

Publicado no Resende Afora.

Share

sexta-feira, 27 de maio de 2005

Feriadão na cidade

Para quem preferiu não viajar com medo do mau tempo ou não pôde emendar o feriado por causa do trabalho, Resende oferece algumas boas opções de lazer neste fim de semana.

No Resende Shopping, as salas do Cine Show (tel.: 3354-6224) continuam exibindo dois dos filmes mais vistos pelas platéias do mundo inteiro em 2005: Cruzada (na sala 3, às 14h50m, 17h40m e 20h30m) e Star Wars 3 (na sala 1, às 15h15m, 18h e 20h45m, e na sala 2, também às 20h45m), além de Operação Babá (na sala 2, às 14h45m, 16h45m e 18h45m).

Antes ou depois do cinema, um bom programa é ouvir música ao vivo na Praça de Alimentação, onde se apresentam os excelentes Nill (hoje, sexta-feira, das 19 às 23 horas), Camões (amanhã, sábado, no mesmo horário) e Manell (domingo, das 17 às 21 horas).


Música de qualidade nas noites resendenses

No circuito dos barzinhos, o Sax (tel.: 3354-1673) recebe – sempre a partir das 21 horas – Lico e Fabrício (hoje, sexta-feira) e Nill (amanhã, sábado); no vizinho Cosa Nostra (tel.: 3355-2317), as atrações são Os Silvas (hoje, sexta-feira), Manell (amanhã, sábado) e Daniel e DVD (domingo); no Güela Seca (tel.: 3359-0009) se apresentam Manell (hoje, sexta-feira), Gérson (amanhã, sábado) e Os Silvas (domingo); no Armazém (tel.: 3355-8114), quem deverá subir ao palco domingo, a partir das 21 horas, é Toni Madeira (a confirmar).

Se o negócio é dançar (no bom sentido), duas boas opções para amanhã (sábado): a Festa Charme, no Paiol (tel.: 9831-5348), com o DJ Motta e convidados (ingressos a R$ 5,00) e o forró dos Bocaininhas, no Celeiro (3354-6782), com ingressos a R$ 8,00 (homens) e R$ 5,00 (mulheres).

Além disso, Resende conta com bons restaurantes para todos os gostos (como o Bella Ithalia, o Trem Azul, o Paiol, o Celeiro e o Estação Delícia), com três das melhores livrarias da região (Nobel, Cultura & Cia e Intervalo Cultural) e com uma grande área pública de lazer, o Parque das Águas, ponto de encontro dos praticantes da caminhada.

Sobrando algum tempo livre, sempre vale a pena passar algumas horas em Penedo, em Mauá ou no Parque Nacional do Itatiaia. Divirta-se!

Share

quinta-feira, 26 de maio de 2005

Manhã de tempestade


Passagem de frente fria provocou temporal

Resende amanheceu ontem (quarta-feira) sob um temporal que assustou quem estava saindo de casa para o trabalho ou para a escola. Pouco antes das 7 horas, uma enorme nuvem negra surgiu sobre a cidade, acionando os sensores das lâmpadas dos postes e fazendo com que muitos imaginassem ser ainda madrugada. Às sete em ponto, a chuva - acompanhada de forte ventania - desabou sobre as desprotegidas cabeças de quem cruzava pontes, ruas e avenidas.

Pela Internet, fomos informados do caos em São Paulo provocado pela maior tempestade dos últimos 60 anos. E os números resumem a tragédia: 117 pontos de alagamentos na capital, 177 linhas de ônibus praticamente paralisadas, incalculáveis danos materiais (veículos submersos, casas invadidas pelas águas, parte da cidade de Indaiatuba destruída por um tornado) e, o pior, seis pessoas mortas em todo o Estado.

Graças aos céus (literalmente), a chuva que nos atingiu durou menos de meia hora, o tempo da rápida passagem da frente fria vinda de São Paulo em direção ao Rio de Janeiro. Como conseqüência - além da correria de colegiais e trabalhadores -, só a queda da temperatura, que permanece ainda hoje, embora o sol já esteja brilhando lá fora. Sorte de quem se atreveu a desafiar o tempo e está agora curtindo este feriado com jeito de inverno em Penedo, em Mauá ou, até mesmo, em São Paulo.

Share

sexta-feira, 20 de maio de 2005

A grande arte de Turíbio


Turíbio Santos no auditório da AEDB

Sucesso absoluto a apresentação do violonista Turíbio Santos na AEDB, quarta-feira passada. Auditório lotado, amigos se encontrando, gente alegre e bonita, uma noite como há muito não acontecia na cidade.

Chego mais cedo para conversar com o mestre e fazer umas fotos durante a passagem de som. Sobre o programa do concerto, ele me diz que não costuma planejar nada com antecedência mas, com certeza, deverá tocar obras de João Pernambuco, Dilermando Reis e Chiquinha Gonzaga.

Nenhum clássico? "Olha, posso até encaixar algum Bach no meio dos brasileiros, é bem possível, vamos ver!" Chega uma jovem estudante de violão pedindo conselhos ao ídolo que, pacientemente, orienta sobre os caminhos a seguir. Em seguida, pega o violão e toca trechos de conhecidos chorinhos, enquanto eu fotografo a cena iluminada por refletores coloridos.

Oito horas em ponto e o auditório ainda praticamente vazio. Pouco a pouco, no entanto, as pessoas vão entrando, escolhendo os melhores lugares, colocando o papo em dia. Vinte minutos depois, com a casa cheia, Turíbio dá início aos trabalhos tocando - emendadas - Asa Branca, Assum Preto e Baião, clássicos de Luiz Gonzaga.

A partir daí, tivemos uma verdadeira aula de violão brasileiro, ilustrada com breves comentários sobre as músicas e seus compositores. O próximo foi João Pernambuco, relembrado com Jongo, Graúna e a conhecidíssima Sons de Carrilhões. Depois, uma suíte de Chiquinha Gonzaga, formada por Gaúcho, Atraente e Ô Abre Alas.

Chega a hora de apresentar o grande mestre, Heitor Villa-Lobos, de quem Turíbio gravou toda a obra composta para violão. Ele chama a atenção para algumas semelhanças entre a música de Bach e a de Villa, que vão muito além das célebres Bachianas. Para exemplificar, Turíbio emenda o Prelúdio em Ré Menor, de Bach, com o Estudo Nº 1, de Villa-Lobos. O auditório quase vem abaixo numa demorada ovação.

Encerrando o concerto - breve mas intenso -, uma inesperada e arrebatadora execução de A Ema Gemeu, de Jackson do Pandeiro. O violonista deixa o palco, todos aplaudindo de pé, para voltar logo depois com a belíssima Tempo de Criança, de Dilermando Reis. Um bis perfeito para uma noite que ficará na memória daqueles que quiseram ver (e ouvir) de perto a grande arte de Turíbio Santos.

Parabéns aos Diretórios Acadêmicos da AEDB pela brilhante iniciativa e que venham outros grandes nomes da música brasileira (uma sugestão: Jards Macalé, que está sempre por aqui e é uma lenda viva da MPB). Público, pelo visto, é o que não falta.


Publicado no Resende Afora.

Share

terça-feira, 17 de maio de 2005

Darth volta para salvar a lavoura


'Star Wars 3' tem venda antecipada de ingressos

Estréia na próxima quinta-feira em todo o planeta, inclusive em Resende, o novo episódio de Guerra nas Estrelas, Star Wars 3 - A Vingança dos Sith. O Cine Show, no Resende Shopping, já está vendendo ingressos antecipados para as três sessões diárias (15h15m, 18h e 20h45m) que serão projetadas na Sala 3, com preços que variam de R$ 3,00 (meia entrada nas sessões diurnas) a R$ 9,00 (inteira nos sábados, domingos e feriados).

A gerente do Cine Show, Andréa Carvalho, aposta no sucesso do filme, que tem tudo para repetir o excelente desempenho dos episódios de Harry Potter e do Senhor dos Anéis que ficaram, cada um, mais de um mês em cartaz. É que a programação das três salas do Cine Show costuma mudar toda semana, ou seja, os filmes são exibidos, no máximo, durante sete dias corridos. Ocasionalmente, um fenômeno de bilheteria quebra essa regra e pode estender a permanência por mais uma ou duas semanas.

Não é bem o caso de Star Wars 3, certamente uma das grandes estrelas (trocadilho inevitável) do ano, destinado a bater recordes de permanência. Aliás, uma matéria no Segundo Caderno de O Globo do último domingo diz, com todas as letras (no título, inclusive), que o filme de George Lucas deverá salvar Hollywood novamente. Isso porque a freqüência aos cinemas nos Estados Unidos vem caindo mês a mês, graças à concorrência dos DVDs e dos videogames.

Por aqui, a situação parece ser a mesma e, no nosso caso, eu acrescentaria também o computador como grande concorrente dos cinemas: atualmente, passamos mais tempo na Internet do que em qualquer outra atividade cultural ou de lazer.

Mas o cinema é insubstituível, assim como o teatro, as revistas, os jornais e os livros. Sempre haverá lugar para a magia da sala escura que nos faz esquecer do mundo por duas horas, sem a interrupção do telefone (celular não vale!), dos filhos ou das visitas de surpresa.

Portanto, vamos todos ao Cine Show acompanhar a inusitada transformação de Anakin Skywalker em Darth Vader e torcer para que, no final, os heróis vivam felizes para sempre. Afinal, este é o último filme da série.

Publicado no Resende Afora.

Share

sexta-feira, 13 de maio de 2005

Encontro de Corais de Resende


Os Anjos da Guardian em sua primeira apresentação

Um bom programa para quem gosta de música de alto nível é o Festival de Corais de Resende, que acontecerá amanhã no espaçoso e confortável cinema da Aman. Diversos corais da cidade confirmaram a presença, entre eles, o Vozes das Agulhas Negras, o Confiar, o Pestalozzi e o Anjos da Guardian, este último formado - ano passado - na fábrica de vidros sediada em Porto Real.

De acordo com a idealizadora do Anjos da Guardian (excelente nome, por sinal), Ana Paula Gonçalves (responsável por Segurança no Trabalho), o coral surgiu de um desafio que ela propôs aos colegas na preparação da SIPAT 2004, que aconteceu exatamente um ano atrás. Seriam eles capazes de formar um coral e se apresentarem no evento?

A resposta foi altamente positiva. Com o auxílio luxuoso da pianista e maestrina Alile Cuoco, o grupo de 15 coralistas (seis mulheres e nove homens) ensaiou um repertório de pérolas da música brasileira (canções de Noel Rosa e Dorival Caymmi, entre outras), intercaladas com spirituals e standards da música americana.

Hoje, o Anjos da Guardian, que já tem oito apresentações internas no currículo, se prepara para a seu primeiro desafio fora dos portões da fábrica. Com toda a certeza, será um vôo suave e tranqüilo. O festival começa às 17 horas, com entrada franca. Imperdível!

Share

Festa do Pinhão em Mauá


Turistas e chefs de cozinha se dirigem a Mauá

Acontece - de hoje, sexta-feira 13, a domingo - a 13ª Festa do Pinhão de Visconde de Mauá. A grande atração do evento é o Concurso Gastronômico (também na 13ª edição) que reúne alguns dos grandes nomes da cozinha brasileira, todos com a difícil (e também agradável) missão de eleger os melhores pratos criados com o fruto do pinheiro.

Preparados pelos restaurantes da nossa mais charmosa vila, os pratos em julgamento serão divididos em três categorias: entrada, prato principal e sobremesa. Este ano, nove concorrentes participam do festival, que contará com as ilustres presenças de Flávia Quaresma (chef do Bistrô Carême, do Rio de Janeiro), Marcos Sodré (Sawasdee, Búzios), Pietro Nerone (Borsalino, Rio), César Santos (Oficina do Sabor, Olinda), André Saburo (Quina do Futuro, Recife) e Paulo Pinho (Sagrada Família, Rio).

Na Praça do Pinhão, além da apresentação dos pratos (que acontece amanhã), serão ministrados workshops ao público em geral, que também poderá participar do júri (comprando a camiseta oficial do evento por R$ 40,00) ou provar as delícias feitas com pinhão nos diversos restaurantes locais.

Publicado no Resende Afora.

Share

segunda-feira, 9 de maio de 2005

Jazz no Calçadão


O saxofonista Aniceto e sua banda

Sábado passado, véspera do Dia das Mães, o Calçadão esteve mais movimentado do que nunca. É que, além da data especial (última chance para comprar o presente da mamãe), houve também um encontro de motociclistas (concentrados de frente à Makell) e um show do saxofonista Aniceto e sua banda. É a segunda vez que eles se apresentam ali, no tradicional palanque armado próximo ao relógio digital, louvável iniciativa da Casa da Cultura Macedo Miranda.

Para mim, o melhor de Resende acontece sempre nas manhãs de sábado do Calçadão. É quando as pessoas circulam alegres e descontraídas, curtindo a liberdade depois de uma semana inteira dedicada ao trabalho e à correria cotidiana. E se o sábado é de sol e estamos em pleno outono - a estação mais agradável do ano -, tudo fica ainda mais bonito, com jeito de primeiro mundo. A boa música só reforça esse sentimento, fazendo as vezes de trilha sonora para os momentos felizes (e fugazes) dessas manhãs ensolaradas.

Share

sexta-feira, 6 de maio de 2005

Turíbio Santos na AEDB


O violonista Turíbio Santos no Museu Villa Lobos

Hoje, sexta-feira, tive a melhor notícia da semana: um dos maiores violonistas em atividade no mundo, o brasileiríssimo (maranhense de São Luís) Turíbio Santos, vai se apresentar no auditório da Associação Educacional Dom Bosco no próximo dia 18 (uma quarta-feira) às 20 horas.

Turíbio tem no currículo nada menos que 55 discos gravados, boa parte deles, na Europa. É um dos maiores intérpretes de Villa-Lobos e já se apresentou ao lado de verdadeiras lendas da música clássica, como Yehudi Menuhin, Rostropovitch e Jean Pierre Rampal, além de ter sido acompanhado por importantes orquestras, como a Royal Philharmonic Orchestra, a Orchestre National de France e a Orchestre National de L'Opéra de Monte Carlo.

Mas Turíbio é também um apaixonado pela música popular brasileira, tendo regravado obras de João Pernambuco, Garoto e Dilermando Reis. Turíbio Santos - que criou em 1983 a Orquestra Brasileira de Violões - é, desde 1985, o diretor do Museu Villa-Lobos, no Rio de Janeiro, onde eu fiz esta foto para ilustrar uma reportagem sobre o grande Villa para a revista Diálogo, nos idos dos anos noventa.

Publicado no Resende Afora.

Share


Militares retiram o carro do colegaPosted by Hello

Share

Mergulho no Paraíba

Um dia depois da batida na entrada da cidade (que, felizmente, só gerou danos materiais), um acidente grave aconteceu à beira do rio Paraíba do Sul, nas proximidades do Resende Shopping. Pelas informações já veiculadas na imprensa, um Vectra conduzido por um tenente do exército caiu de costas no rio, depois de desviar de uma mulher que caminhava na rua e atropelar outra que estava na calçada (ou o que deveria ser uma calçada) ao lado do rio. Muitos curiosos, trânsito interrompido no local por mais de duas horas e o motorista salvo por transeuntes e pela providencial chegada dos bombeiros. Saldo: um carro destruído, a mulher atropelada internada no Hospital de Emergência e o tenente, em estado mais grave, no CTI do Samer. Não estaria na hora de se pensar em construir uma calçada desde a saída da Ponte Velha até o início da pista de caminhada, na altura do Detran? Este é o trajeto que centenas de adeptos do jogging fazem todos os dias, disputando espaço com os carros pela ausência absoluta de um lugar seguro para caminhar, arriscando as próprias vidas e as dos motoristas que, como acabamos de ver, muitas vezes não têm para onde escapar.

Share


Confusão em um dos principais acessos à cidade Posted by Hello

Share

quinta-feira, 5 de maio de 2005

Caos no trânsito

Um dos problemas mais sérios de Resende, todos sabem, é o trânsito. O rápido crescimento da cidade nos últimos anos, graças à industrialização, fez com que a quantidade de carros nas ruas aumentasse em proporção alarmante. Basta percorrer a Ponte Miguel Couto Filho ou a Rua Sebastião José Rodrigues (em Campos Elíseos) ou atravessar o Túnel da Aman nos horários de pico (entre 12 e 13 horas e entre 17 e 18 horas) para sentir na pele a desconfortável sensação de estar preso em algum dos lugares mais movimentados do Rio ou de São Paulo. Mas o que mais preocupa (motoristas, pedestres e ciclistas) é a ausência de uma sinalização preventiva nos pontos onde a improvisação dos engenheiros de tráfego, ao longo dos anos, tornou impossível saber quem tem razão no caso de um acidente. Exemplos: se um carro que sai da Ponte Tácito Vianna Rodrigues em direção à Rodoviária Augusto de Carvalho bate em outro que está contornando a rotatória, também em direção à Rodoviária, quem paga a conta? O primeiro pode alegar a seu favor que os que saem de uma ponte têm preferência, enquanto que o segundo defenderá com unhas e dentes (às vezes, literalmente) a sua privilegiada posição na rotatória; outro exemplo é o cruzamento da Rua Gulhot Rodrigues com a Avenida Albino de Almeida, na esquina do Bradesco. Quem tem a preferência? Essa resposta é simples: o mais corajoso! Em ambos os casos, uma placa indicativa (Pare ou Via Preferencial) resolveria o problema, evitando a ocorrência de muitos acidentes. Como o que aconteceu terça-feira passada (03/05) na entrada da cidade, no bairro Paraíso. Neste ponto, os carros que vêm da Dutra entram direto na Avenida Dr. Jefferson Geraldo Bruno, como se não houvesse trânsito de veículos por ali. No entanto, esta é uma via de mão dupla e quem vem do novo Best Western Resende Hotel (ou da Rádio Real FM) teoricamente tem preferência sobre os veículos que surgem na agulha de acesso à cidade. Mas, como parar o trânsito que sai em alta velocidade da rodovia? Questão complicada, principalmente para quem se depara com um carro que parece vir na contramão, pisa no freio e é abalroado (êta palavrinha feia!) por um ônibus que passa por ali todos os dias e nunca pára na certeza absoluta da preferência. Ou da impunidade.

Share


Relâmpagos também produzem iluminação artística Posted by Hello

Share

Cadê as luzes?

É, parece que resolveram o problema da recém-inaugurada iluminação artística da Ponte Velha da maneira mais simples: desligaram os holofotes vermelhos! Será que todo o trabalho de instalação da fiação elétrica (que passa por canos fixados no alto das grades) foi perdido? Não veremos mais a discreta iluminação artística? Pior que eu não consegui fazer uma única foto noturna da ponte em vermelho. É que desde a primeira noite de funcionamento já havia holofotes apagados aqui e ali. Fiquei esperando substituírem as lâmpadas queimadas (a cada noite mais numerosas) e perdi a foto! Mas, para não dizer que não fiz nada, que tal esta sem as luzes vermelhas mas com o céu iluminado pelo clarão de um raio em uma noite de tempestade?

Share