Já estão à venda os novos cartões-postais Resende de ORo

sexta-feira, 30 de junho de 2006

Nomes de guerra

Crônica de Nelson Motta (via e-mail)

Assim na vida como no futebol, nome é destino. A começar por ele, o rei, mais que um craque, um gênio da bola, um ícone, um grito da multidão, Pelé! em qualquer língua, com ponto de exclamação, jamais seria o rei jogando como Edson e muito menos como Nascimento. Garrincha não seria quem foi se fosse chamado de Manuel. Nem Tostão, se fosse Eduardo.

É difícil imaginar Zico ou Didi famosos como Coimbra ou Pereira, que é como americanos e europeus chamam seus atletas, pelo nome de família. Tanto que entre nós não há craques chamados Teixeira, Cardoso, Moreira ou Motta. Os brasileiros são conhecidos pelo nome próprio, que já sugere intimidade, ou melhor, pelo apelido. Exceções: o grande Falcão não seria tão grande como Paulo Roberto, seria? O virtuose Júnior poderia triunfar como Leovigildo? E Romário, o que faria como Faria?

É chato dizer, mas existe melhor nome de craque do que Diego Maradona? Os argentinos gostam de chamar por nome e sobrenome, pura frescura, mas impressiona. Olha o Maxi Rodriguez, o Hernan Crespo, o Lionel Messi, o Gabriel Batistutta, craques nominais. Gente chamada Sandro Mazzola, Gianni Rivera ou Alessandro Del Piero está marcada para os gols e a glória, os craques italianos se beneficiam da beleza da língua. Um banal José Silva, no Brasil, corresponde, na Itália, a um sonoro e inesquecível Paolo Rossi. Os franceses também têm os seus, como Platini, Tresor, Trezeguet, Makelelê, mas o melhor é Zinedine Zidane, ZZ, que eles chamam de Zizou e no Brasil certamente seria o popular Zezé.

Já os alemães usam a dureza da língua para nomear os seus, como o imponente Franz Beckenbauer e agora os temíveis Klose, cada vez mais perto do gol, e Ballack, mandando bala na bola e no nome.

Share

quinta-feira, 29 de junho de 2006



O Globo se rende ao poder dos blogs

Share

Espírito de revanche - Parte 2

Joana Calmon é jovem, bonita e escreve muito bem. Jornalista, mora há quatro anos na capital francesa, de onde pilota um blog genialmente batizado de Pariscopio. Pois bem. Com a classificação da França para as quartas da Copa - tendo como adversário o Brasil -, Joana não pensou duas vezes para lançar na blogosfera uma indignada campanha com o seguinte slogan:

"Surra na França, Brasil! Chega de humilhação!"

O sucesso veio rápido, tanto que, hoje, o seu desabafo ocupa toda a capa do caderno Esportes do jornal O Globo. Madrugador que sou, li a matéria antes do sol nascer e corri até o Pariscopio para comentar a façanha e pedir autorização da autora para reproduzir trechos do post original aqui no RA. A resposta veio por e-mail, liberando geral. De qualquer forma, recomendo uma visita ao Pariscopio para ler tudo na íntegra. Além de divertido, o blog passa uma boa visão das alegrias e tristezas comuns aos jovens brasileiros expatriados em qualquer parte do mundo. Diga lá, Joana:

Meu drama (e o de muitos outros brasileiros que vivem aqui): toda vez que pego um táxi do aeroporto para casa, sou obrigada a ouvir do motorista a mesma gracinha. Uma gracinha que TO-DO taxista francês faz com TO-DO brasileiro que chega em Paris. Porque no meio do caminho tem uma pedra, tem uma pedra no meio do caminho. A única via que liga o aeroporto internacional à cidade passa em frente ao maldito Stade de France. Não tem escapatória. A não ser que você opte pela via subterrânea e enfrente o metrô de mala e cuia, é impossivel evitar a visão apocalíptica do famigerado estádio, palco de um dos momentos mais tristes da vida de qualquer brasileiro.

E para piorar a situação, vem o FDP do taxista, bancando o guia turístico, e manda: "Foi ali que a França deu aquela surra de 3 a 0 no Brasil em 98!". Dá vontade de responder: "Ah, jura, seu FDP? Se vc não tivesse me mostrado, teria passado em branco..." Mas para evitar que o francês (ô, raça esquentadinha!) te largue num dos subúrbios mais perigosos de Paris (foi lá que o circo – ou melhor, boa parte da frota automobilistica francesa – começou a pegar fogo, na revolta da periferia no fim do ano passado), é melhor não dizer nada e abrir aquele sorriso amarelo.

Alguns comentários postados no Pariscopio:

1. Você esqueceu de relatar no teu blog aquela musiquinha chata que eles adoram cantar para qualquer brasileiro: Et Un, et Deux, et Trois ZERO!

2. Se serve de consolo para os compatriotas que moram aí na França... Tive treinamento aqui na empresa mês passado... Instrutores franceses... E ainda tiveram a petulância de nos zoar... Surra neles!!!

3. Realmenbte joana, eu te entendo muito mais do que vc pode imaginar. Sou brasileiro e vivi na frança durante 5 anos, cheguei lá no inicio de 99, vc pode imaginar então com a copa do mundo fresquinha na cabeça deles, o que eu tive que agüentar. A pergunta era sistematica: - VC é brasileiro?? - sou!! - HAHAHAH... Et un, et deux, et trois zéro!

4. Em 98 estudava na escola francesa do Rio e até o diretor da escola entrou em sala pra mandar o famoso "et un, et deux et trois zero!", e agora estudo na França e não quero por nada nesse mundo repetir a dose!

5. Joana, estou ne mesma situação que vc!!! Moro em Paris há 6 anos, cheguei aqui um ano depois da copa e escuto até hoje o "et un, et deux et trois zéro" não só de taxista mas tb de amigos, colegas de trabalho, do NAMORADO que tb é francês e fanático por futebol... e de qualquer francês que descobre que sou brasileira!! 2002 nao adiantou, só uma bela vitória poderá calar esse povo!!

6. Ainda faltam 3 dias p/ o jogo e o pessoal aqui já está arrumando desculpa dizendo que o árbitro é espanhol...

Share

quarta-feira, 28 de junho de 2006

Minha vida de Coiote

Coluna de Diogo Mainardi, na revista Veja

Lula é o Papa-Léguas. Eu sou o Coiote. Por quatro anos, imitei o desenho animado. Recorri a todas as artimanhas para capturar a presa: catapultas, foguetes, patins a jato, elásticos gigantes, tintas invisíveis, rochas desidratadas, comprimidos de terremoto. Nada deu certo. Lula sempre conseguiu escapar. E depois de escapar, como o Papa-Léguas, grasnou aquele estridente bip-bip em minha orelha, assustando-me e fazendo-me cair num abismo, em geral com uma pedra de 10 toneladas na cabeça.

O maior achado do desenho animado de Chuck Jones é sua absoluta essencialidade. Os dois protagonistas, mudos, confrontam-se num panorama deserto, onde só há pedras e cactos, cujos espinhos terminam invariavelmente fincados na pele do Coiote.

O Papa-Léguas é uma besta primária, um oportunista microcéfalo perfeitamente adaptado ao seu meio, que sabe apenas fugir e se esquivar das ciladas preparadas pelo Coiote. O Coiote, por sua vez, é a caricatura do humanista otário que acredita no triunfo da racionalidade, do conhecimento, do engenho humano, da lei, do progresso social, da tecnologia. E é repetidamente punido por causa disso.

Depois de quatro anos, com dezenas de artigos sobre o Papa-Léguas lulista, o esquema se desgastou. No ano que vem, mudo definitivamente de assunto. Até lá, espero concluir algumas das histórias a que me dediquei no último período: do meu processo contra Lula, que já está no STF, à denúncia de que ele possui uma conta num paraíso fiscal. Da ação popular que pretendo mover contra a empresa de seu filho, que arrendou ilegalmente um canal de TV, à revelação de novos casos de financiamento ilícito ao PT.

O resultado de meu esforço será o mesmo de sempre. O Papa-Léguas passará por mim a toda a velocidade, buzinando seu bip-bip. Eu, estupidamente, tentarei descobrir o que deu errado em meus planos e, de uma hora para outra, me verei caindo num abismo. Mas não ria. Porque você cairá junto comigo.

Para ler o texto integral, clique aqui.

Share

Espírito de revanche - Parte 1

Manchete de hoje do jornal Expresso da Notícia:

"Que a França Zidane!"

Share

sexta-feira, 23 de junho de 2006



Jornal argentino louva o Brasil

Share

Imprensa estrangeira se rende a Ronaldo

Do UOL Esporte

O jogo virou. Depois da goleada por 4 a 1 em cima do Japão, a imprensa estrangeira voltou a colocar a seleção brasileira no topo, depois de muitas críticas após as duas primeiras partidas.

Mas a redenção mesmo ficou por conta de Ronaldo. Seus quilos parecem já não importar mais depois de o atleta ter empatado com o ex-atacante alemão Gerd Müller como o maior artilheiro da história das Copas, com 14 gols.

Como notou o argentino Clarín: "Criticar Ronaldo havia se convertido em esporte mundial. Ele mastigou e engoliu tudo isso. Agora se libertou".

Para o Olé, os brasileiros viraram "galácticos" após a terceira partida. "Ronaldo demonstrou seu peso em ouro: fez dois gols, superou Pelé, igualou Gerd Müller e foi a figura da partida."

A Gazzetta dello Sport, da Itália manchetou: "Brasil super, espetáculo e gol". O jornal destacou que, mesmo com reservas em campo, o Brasil venceu outra vez, mas desta vez jogando ao seu estilo.

O diário A Bola falou da "magia dos canarinhos" e que o "todo-poderoso Brasil agora espera Gana". "Gordo?", questionou, de maneira simples, a reviravolta de Ronaldo.

O britânico The Guardian não se rendeu por completo e disse que "Ronaldo enfim voltou a alguma forma". Porém, continuou com: "A vitória pode ter dado vários dilemas ao técnico Carlos Alberto Parreira, mas decidir escalar Ronaldo já não é mais um deles". Já o tablóide The Sun constatou que Ronaldo "tirou peso de seu corpo".

Na Espanha, o Marca, habituado à cobertura de Ronaldo e as demais celebridades do Real, destacou que o brasileiro "igualou o recorde de gols de Gerd Müller", assim como fez o As: "Brasil 4 - Ronaldo iguala Müller".

Share

quarta-feira, 21 de junho de 2006

O intrigante caso do botão rebelde

É, eu andei sumido. Pô, desde anteontem sem aparecer? Qual é cara, que qui tá pegando? Seguinte: apareceu um problema esquisitão no computador. Já viram uma máquina que desliga (e religa) sozinha dezenas de vezes seguidas e, quando você a deixa de lado, ela volta a funcionar normalmente, como se nada tivesse acontecido? E fica assim durante um dia inteiro e, de repente, volta a desligar e religar, desligar e religar, desligar e religar? Pois é, este foi o estranho comportamento da minha máquina nos últimos dias.

Pensando que poderia ser um acúmulo de poeira nas placas, abri o gabinete e limpei peça por peça. Nada. Apelei, então, para o meu técnico de confiança máxima.

- A princípio - ele me disse - o problema pode ser no botão de liga e desliga. Mas pode ser também a placa-mãe...

Como não havia, aparentemente, nada de errado com o botão, achei por bem comprar logo outra placa-mãe e abreviar uma novela que prometia render ainda muitos capítulos.

Depois de rodar toda a cidade, encontrei uma única placa compatível com a minha máquina. Dei a notícia ao técnico e ouvi dele que iria fazer um bom negócio, já que o modelo era mais novo e o preço praticamente uma pechinha. Comprei. Só que, depois de tudo instalado, o problema continuou! Aí, baixou em mim o espírito do grande Bussunda e eu disse ao técnico, em alto e bom som: fala sério!!!

Resultado: o problema era mesmo no botão de liga-desliga, mas como eu já havia comprado e instalado outra placa-mãe, resolvi assumir a besteira e ficar com uma máquina um pouco mais rápida. E com um novo e moderníssimo botão que, agora, só funciona quando eu aperto!

Share

segunda-feira, 19 de junho de 2006



Jornal argentino detona o Brasil

Share

Imprensa estrangeira critica seleção brasileira

Do UOL Copa do Mundo 2006

Nesta segunda-feira, os jornais pelo mundo voltaram a destacar uma atuação apagada da equipe que por eles era considerada a favorita disparada ao título na Alemanha. Na Espanha, país que abriga Ronaldinho Gaúcho, Robinho, Ronaldo, Roberto Carlos, entre outros da seleção brasileira, a recepção foi morna, no máximo.

O Marca usou de trocadilho para informar que o Brasil aderiu ao "jogo efetivo" - em vez de "jogo bonito". O diário As preferiu destacar o desempenho de Robinho, dizendo que o atacante "maquila o Brasil". "A seleção está a anos-luz de Espanha, Argentina e Gana, com quem podem cruzar nas oitavas-de-final", destacou. Pior foi a manchete do Mundo Deportivo, da Barcelona de Ronaldinho Gaúcho: "Futebol vulgar".

Mas o ataque mais agressivo, naturalmente, coube ao jornal esportivo Olé, da Argentina. "É penta e espanta", foi sua manchete de capa. O Clarín foi mais contido: "Brasil ganha, mas a magia não aparece". A mesma linha seguiu o popular Bild alemão, notando que a seleção pentacampeão mundial venceu "sem brilho". E o francês L'Equipe também: "Brasil se classifica sem convencer".

O inglês The Guardian voltou a analisar a atuação de Ronaldo individualmente. "Ronaldo segue sob suspeita", manchetou. O jornal ainda especula que essa pode ter sido a última partida do atacante na seleção e que lhe faltou alegria. No geral, avaliou a equipe com "mais um desempenho fraco".

Share

sexta-feira, 16 de junho de 2006

Três projetos na boca do povo

O vereador Fernando Menandro - freqüente colaborador involuntário do RA - nos enviou um e-mail com as últimas notícias sobre o andamento de três polêmicos projetos que estão sendo discutidos na Prefeitura, na Câmara dos Vereadores, no Rei dos Salgadinhos, no Bar do Chiquinho e no Calçadão.

Pela importância de cada um deles na vida de todos nós, é de se esperar que o debate - amplo e irrestrito - esgote todas as possibilidades de argumentação antes da palavra final, que deve ser dada pelo povo através de referendos.

Infelizmente, um desses projetos - o que "proíbe" o nepotismo - já foi votado e aprovado pela Câmara, justo aquele que jamais deveria ser decidido, única e exclusivamente, por quem se beneficia diretamente da lei. Com a palavra, mais uma vez, o nobre vereador Fernando Menandro:

Casa de Custódia

A Prefeitura Municipal realizou, na semana passada, uma Audiência Pública para discutir a construção de uma Casa de Custódia (prisão) em Resende. Na ocasião – com pouca participação da sociedade civil organizada –, foi apresentado o projeto da obra, orçado em 8 milhões de reais, que abrigará 350 detentos (300 homens e 50 mulheres).

O representante do Governo Estadual afirmou não ter recursos disponíveis no orçamento do estado para a concretização da obra e questionou a possibilidade do município e o do Tribunal de Justiça do RJ, disponibilizarem os valores (oito milhões) para a viabilização do projeto. Como o representante da Prefeitura de Resende – Dr. Ricardo (procurador-geral) – não tinha autonomia para responder sobre a disponibilidade orçamentária do município, a reunião foi encerrada sem que houvesse o anúncio de qualquer decisão sobre o tema.

Insisto na idéia de que este projeto não pode ser aprovado sem que haja um amplo e detalhado debate com a população resendense.

Nepotismo

O projeto que proíbe o nepotismo (nomeação de parentes) nos poderes legislativo e executivo, foi votado e aprovado na Câmara, contudo, sua eficácia é duvidosa. O texto original do projeto permite a nomeação de parentes das autoridades municipais (vereadores, prefeito e vice-prefeito), secretários e presidentes de empresas públicas e autarquias, sem concurso público. Basta que o indicado possua qualificação técnica para o cargo.

Os cargos comissionados, em sua quase totalidade, são de natureza política (dispensam qualificação), o que torna muito difícil a fiscalização da aplicação da Lei.

Terceirização do SAAE - Resende Águas

Recebemos, na ACIAR, as visitas do presidente da Associação Nacional dos Serviços Municipais de Água e Esgoto e do ex-diretor de saneamento do Ministério das Cidades, que se prontificaram a acompanhar e assessorar o prefeito de Resende, em Brasília, na busca de financiamentos públicos para investimentos na água e esgoto da cidade, junto ao BNDES, à ANA (Agência Nacional de Águas) e ao Ministério das Cidades.

Aproveito a oportunidade para agradecer àqueles que enviaram e-mails para a assessoria de imprensa da Câmara, demonstrando sua concordância com o projeto de lei (de minha autoria) que institui o referendo popular para autorizar a terceirização da água de Resende.

O prefeito retirou o projeto de terceirização da água para, segundo ele, discutí-lo com a sociedade. Acredito que o o mesmo será reapresentado após as eleições de 1º de outubro.

Share

quarta-feira, 14 de junho de 2006

O bastidor da fritura de um craque

Rodolfo Fernandes, do Blog dos Colunistas

Este blog acredita que Deus ajuda blog que madruga. Depois de conversar na madrugada de Berlim com diversas pessoas próximas à seleção e a Ronaldo, este blog sente-se em condições de dar os bastidores do que efetivamente está acontecendo na seleção e avaliar que:

1) Parreira sabe que tem um grande problema para resolver, chamado Ronaldo Nazario. Como o técnico vai fazer, qual a sua estratégia, é algo que dormiu na sua cabeça ontem. Como já havíamos dito aqui outro dia, Ronaldo está disperso, irritado e sem foco na Copa do Mundo. Antes da competição, Parreira vinha dizendo, em conversas reservadas, que teria toda a paciência para aguardar Ronaldo recuperar as condições físicas, mas que ele precisaria demonstrar vontade de fazer isso. Não é o que vem ocorrendo. Parreira tem noção disso.

2) Parreira confirmou Ronaldo imediatamente para a próxima partida, como forma de mandar um recado favorável ao craque. Mas esses sinais nem sempre são tão lógicos assim. O futebol é o ambiente mais próximo que existe da política - e a confirmação de Ronaldo como titular faz parte do figurino traçado por Parreira. Ele conta com a primeira fase para Ronaldo entrar em forma, mas não pretende ir para um mata-mata na segunda fase com este Ronaldo. Mais uma partida como a de ontem tornará a situação do jogador muito difícil.

3) Parreira não vai barrar Ronaldo. Ouvi de uma pessoa que conhece a seleção o seguinte: quem vai barrar o Ronaldo é o próprio Ronaldo. Eu diria, mantendo a comparação com a política, que Parreira está fritando Ronaldo - é como um ministro forte que o presidente não pode demitir, tem que aguardar condições para poder agir. FH e Lula sabem bem como é isso, são especialistas no tema... As vaias que Ronaldo recebeu ontem são uma etapa importante desse processo. Ronaldo saiu mais fraco do jogo de ontem.

4) Resumindo: Ronaldo desceu um degrau na sua condição de intocável na seleção. Nunca em sua carreira esteve tão próximo do banco de reservas. A impressão generalizada é de que só conversar não adianta mais. Mesmo assim, todos acham que Ronaldo é um homem de superação e, no fundo, como toda a torcida, esperam o milagre da recuperação física, técnica e psicológica do craque.

Comentário do RA:

Grande Rodolfo! Perfeita a sua análise sobre o caso Ronaldo. Faltou, talvez, um parágrafo abordando a raíz do problema, ou seja, a razão (ou razões) dessa fenomenal apatia.

Acredito - embora não tenha acesso a pessoas próximas ao camisa 9 e, muito menos, ao próprio - que a chave da questão esteja na última temporada do Real Madrid, quando Ronaldo sofreu seguidas contusões e ficou mais tempo em casa do que nos gramados. Esse período de ócio rendeu-lhe - além do óbvio despreparo físico - algumas polegadas a mais de gordura (e não de massa muscular, como ele não se cansa de repetir).

Resultado: sem tempo hábil para recuperar a antiga agilidade e perder o excesso de peso, Ronaldo se apresentou para a Copa trazendo na bagagem apenas o seu glorioso passado. E aí, choveram os comentários, as críticas, e o cara - sem ter pra onde correr, nem o que fazer - ficou de mal com a vida. O que vimos ontem, debaixo da camisa 9, é a soma desses problemas. Todos eles, infelizmente, sem solução a curto prazo.

Share

Ronaldo gordo, placar magro



No belíssimo Berliner Olympiastadion...

Share



... o escrete canarinho posa para os fotógrafos

Share



Aí, pessoal, vamo arrebentá!

Share



El Gordo tenta se livrar da marcação

Share



E o xará gaúcho também...

Share



O terror de um goleiro diante da bola

Share



Roberto Carlos dá um amasso no seu marcador

Share



Kaká dispara um míssil com o pé esquerdo

Share



E comemora o único gol da partida
(Fotos EFE, AFP e Reuters)

Share

terça-feira, 13 de junho de 2006

Breve comunicado importante

Por motivo de excesso de combustível, este blog só voltará ao seu estado normal amanhã!

Share

A hora é agora



Com ruas enfeitadas...

Share



... a cidade aguarda o início do jogo...

Share



... que deve reunir muita gente aqui

Share

Mengão na Copa

Do Bussunda para o Juca Kfouri, na estação de Frankfurt, rumo a Berlim:

- Tirante a Argentina, você viu algum time melhor melhor do que o Flamengo?

Publicado no Blog do Juca (link nos Favoritos da Copa).

Share

segunda-feira, 12 de junho de 2006



Um canguru festeja a vitória da Austrália sobre o Japão
(Foto Reuters)

Share

Zico analisa a derrota

Publicado no Zico na rede

Não há como justificar o que aconteceu. Jogamos bem praticamente durante o tempo todo, marcamos o gol, mas não tivemos qualidade para ampliar nas chances que tivemos. Sentimos o calor, assim como os australianos, sentimos ainda a força deles, algumas vezes violentos. Mas não há desculpas. Tivemos a chance e depois acabamos superados pela garra da Austrália. Não dá tempo de se abater. Amanhã voltamos ao trabalho pensando em vencer nossos jogos, pois a Copa continua.

Share

O nome dele é Geraaaaaaldo!

Trecho de artigo da Folha Online

Oficializada a candidatura de Geraldo Alckmin a presidente, o ex-governador reuniu hoje sua equipe para uma reestruturação da campanha. Além da montagem do comitê e da definição da agenda de viagens, o PSDB vai investir em um terço do eleitorado ainda indeciso.

Para conquistar essa generosa fatia, a campanha deverá optar pelo prenome do candidato paulista nas peças publicitárias. Em vez de Alckmin, ele será chamado de Geraldo. É uma forma de dar ares de maior intimidade ao pouco conhecido adversário do presidente Lula.

Para otimizar o tempo, a sigla recebe nesta semana o resultado do levantamento das cidades capazes de influenciar municípios vizinhos. Esses serão os destinos prioritários de Alckmin. Ou melhor, do Geraldo.

Editado pelo RA.

Share

Direto do Resende Shopping



Com ajuda de juíz brasileiro, Itália ganha por 2 a 0 de Gana

Share

domingo, 11 de junho de 2006

O blogueiro Artur Xexéo

Desde anteontem, venho visitando regularmente o Blog dos Colunistas do jornal O Globo, um grande time que está na Alemanha cobrindo a Copa. É gente da estirpe de João Ubaldo Ribeiro, Luís Fernando Veríssimo, Cora Rónai, Ancelmo Góis e Artur Xexéo.

De todos eles, Xexéo era um dos únicos que se recusava a colaborar com o blog, limitando o seu trabalho à escrever as colunas para o jornal. E não era nem má vontade com os insistentes colegas de viagem. A má vontade do Xexéo era mesmo com o blog, ou seja, com a mídia que ele nunca havia utilizado, por desconhecimento, por preguiça ou por preconceito.

É, caro visitante, tem muita gente boa que ainda considera blog coisa de adolescente, de quem só escreve abobrinhas numa linguagem indecifrável. Pois bem. Tantos foram os pedidos, que o grande Xexéo acaba de fazer a sua estréia na blogosfera! E como o primeiro post a gente nunca esquece, reproduzo para vocês este momento histórico. Garanto que, depois da Copa, teremos mais um blog nos Favoritos do RA: o Blog do Xexéo.

Share

Colunista é enganado na Copa

Artur Xexéo

Todos os 3 e-mails que recebi desde que começou a cobertura da Copa tinham a mesma reclamação: por que tantos morangos? Eles reclamavam da obsessão dos colunistas do GLOBO por escrever colunas sobre morangos. Vou explicar o que aconteceu. Fomos enganados no Rio quando nos disseram que viríamos para Königstein. Mentira! Viemos para Sulzbach. Königstein é uma cidadezinha pequenininha que tem hotéis, ruas, restaurantes, calçadas, praças, como qualquer cidade que se preza. Sulzbach tem plantações de morangos e um hotel na beira da estrada. Só. Estamos neste hotel. Cercados de morangos por todos os lados.

Chegamos numa quinta-feira e tínhamos que mandar a primeira coluna na sexta. Íamos escrever sobre o quê? A seleção não tinha chegado. Não era possível dar uma volta no quarteirão (não tem quarteirão em Sulzbach). A única coisa que tínhamos visto foram os morangos. Então, escrevemos sobre... bem vocês já sabem.

Mas tudo mudou. A seleção está aí, os jogos já estão rolando, descobrimos que Frankfurt fica só a 25 minutos de trem, Ronaldão faz uma bobagem por dia... Se alguém continuar escrevendo sobre morangos, aí é obsessão mesmo.

Publicado no Blog dos Colunistas.

Share

O show da Holanda em Leipzig



Máscaras e perucas invadiram o estádio

Share



E todos vibraram com a vitória de 1 a 0

Share



Laranja na cabeça e no bumbum

Share



E um colorido happy end
(Fotos AFP e Reuters)

Share

Schumi se ferrou - Parte 3

Como é bom começar o domingo assistindo a uma derrota do Schumacher... Bom demais!!! Só não foi melhor porque a McLaren não teve competência para fazer um pit-stop tão rápido com o Raikkonen como fez a Ferrari com o alemão bandido. Aliás, este é o segredo do sucesso do Schumi do Galvão: ganhar posições - e corridas - aproveitando a rapidez dos mecânicos na troca de pneus e no abastecimento. Neste quesito, as equipes que lhe deram títulos (Benetton e Ferrari) sempre foram imbatíveis.

O exemplo de hoje serve para quase todas as vitórias de Schumacher na F1. Raikkonen, que largou em segundo, passou toda a primeira parte da corrida na frente do alemão safado, os dois chegando a tocar rodas numa tentativa (a única) de ultrapassagem. Quando o finlandês entrou nos boxes, tinha menos de dois segundos de vantagem. Ficou parado oito segundos, enquanto Schumacher aproveitava a pista livre para fazer uma volta rápida e ganhar alguns centésimos antes de parar também. Seu pit-stop foi de apenas 6,5 segundos, suficiente para o retorno à pista na frente do Raikkonen, onde ficou até o final.

Taí mais uma evidência de que as vitórias do mau caráter da Ferrari sempre dependeram mais dos cálculos matemáticos da equipe e da habilidade dos mecânicos do que de seu talento como piloto. Por isso, Schumi, avante! Até a próxima derrota!!

Share

Força total

Neste exato momento, a lua está 100% cheia.

Share

O pensador Lula, filosofando em Vitória

Trechos do discurso de ontem:

1. "Quando eu tomei posse, (...) o Brasil já existia, as fábricas já existiam, o povo já existia, mas a impressão que eu tinha é que eu estava diante de um Brasil feito aqueles brinquedos Lego, desmontado. Era um quebra-cabeça para a gente consolidar."

Comentário do Josias de Souza, na Folha Online:

Algum desavisado que passasse e ouvisse o presidente dizendo aquelas coisas poderia comentar com seus botões: "Quando Lula tomou posse, a fisiologia já existia, o caixa dois já existia, os 300 picaretas do Congresso já existiam, mas a impressão que se tinha era a de que o PT desmontaria o quebra-cabeça da desfaçatez. Qual nada! Consolidou-o."

2. "Vai acontecer com os plantadores de soja, o que acontece com os plantadores de cana. Eles tem duas opções: ou faz álcool ou faz açúcar. E de vez em quando faz uma cachacinha também de cana de açúcar."

Pitaco do RA: Depois dizem que o Ronaldo foi desrespeitoso com o presidente...

Share

sábado, 10 de junho de 2006

Enquanto isso, no Resende Shopping


A unânime torcida pela vitória da Costa do Marfim...

Share



... não bastou para segurar os metaleiros argentinos
(Foto EFE)

Share



Que levaram Maradona à loucura
(Foto Reuters)

Share

Coisas do futebol



Ingleses comemoram gol do paraguaio Gamarra

Share



Que cabeceou uma bola chutada por Beckham

Share



Contra o próprio gol

Share

Momento Caras



Os queridinhos das mulheres

Share



E a alegria dos homens
(Fotos EFE e Reuters)

Share

Schumi se ferrou - Parte 2

Contrariando a vergonhosa torcida dos comentaristas da Globo - Reginaldo Leme, Luciano Burti e Carlos Gil -, o alemão bandido perdeu mais uma pole-position para o espanhol Fernando Alonso. E, dessa vez, não ficou nem com a segunda posição de largada, conquistada por Kimi Raikkonen. Tudo isso na última volta (na verdade, nos últimos segundos) do treino de classificação para o GP de Silverstone, que será disputado amanhã na Inglaterra.

Mais uma prova de que se o Alonso (ou um piloto como ele) e a Renault (ou uma equipe como ela) tivessem surgido há mais tempo na F1, o Schumi do Galvão não teria batido nem metade dos recordes que coleciona hoje. Talvez, nenhum!

Share

Proposta indecente



Lula diz a Ronaldo que pára de beber se ele fizer regime
(Foto subtraída do Blog dos Colunistas)

Share

sexta-feira, 9 de junho de 2006

Ronaldo x Lula

A coisa aconteceu assim: de acordo com o Blog dos Colunistas do jornal O Globo, Lula pressionou a CBF para participar de uma video-conferência com os jogadores da seleção. O Parreira, já prevendo alguma lambança, liberou os jogadores do compromisso, ou seja, só participou quem quis. E só sete quiseram.

E aí, o Lula perguntou ao Parreira se o Ronaldo (ausente na sala) estava mesmo gordo. Parreira disse que não, que ele estava forte. Mas - de acordo com a Folha Online -, Ronaldo ficou sabendo da história e, chateado com a pergunta, respondeu:

- Todo mundo diz que ele (Lula) bebe pra caramba. Tanto é mentira que eu sou gordo, como deve ser mentira que ele bebe pra caramba.

E continuou: "Eu também tenho coisas pra perguntar pra ele, mas avisaram pra gente que era terminantemente proibido perguntar coisas para o presidente."

Pitaco do RA: Grande - e fenomenal - Ronaldo!!

Share



No espírito da Copa

Share

Começou a festa



Torcedor exibe ingresso para a primeira partida

Share



Essa vai ficar boa!

Share



A cerimônia de abertura durou pouco mais de meia hora

Share



E os alemães compareceram a caráter

Share



Com as cores da bandeira no rosto

Share



E no chapéu

Share



Alemanha e Costa Rica disputam o primeiro jogo

Share



E os donos da casa ganham de 4 a 2
(Fotos EFE, AFP e Reuters)

Share

quinta-feira, 8 de junho de 2006

O céu que nos protege



Hoje o dia começou com um enorme zepellin...

Share



... e terminou com uma lua quase cheia

Share

Notas sobre o PCC do Lula

Enviado por Cesar Maia (via e-mail)

1. Num dos trechos do video mostrado pelo Jornal Nacional, um líder do assalto à Camara dos Deputados diz que eles têm que liquidar com o PSDB e com o PFL: "vão ter de aturar o companheiro Lula, que já tem 63%". Mais explícito que isso...

2. O deputado Raul Jungman disse à rádio CBN que os "sem terra" - todos eles - recebem bolsa-família. Ou seja, são todos remunerados pelo governo.

3. Frouxa e suave a intervenção do Lula no caso do Bruno Marcola Maranhão. Pudera! É como no caso do Delubio. Se Lula fala grosso, corre o risco do Bruno Marcola entregar tudo.

Share

quarta-feira, 7 de junho de 2006

O festival no Calçadão



Grupo do Rio apresenta 'Intermezzo'

Share



Com breves e divertidos esquetes

Share



Acompanhados atentamente pelo público

Share



Que aplaudiu os números de acrobacia

Share

Bruno Maranhão: o Marcola do MST

Enviado por Cesar Maia (via e-mail)

Bruno Maranhão - secretário nacional de movimentos populares, membro da CEN (Comissão Executiva Nacional do PT), recém eleita e presidida por Berzoini - é comensal de Lula. Durante os momentos em que o impeachment lambeu o tapete do gabinete do presidente, era ele chamado para preparar a reação dos - ditos - movimentos sociais em defesa de Lula. Todos os dirigentes do PT - de antes e de depois, Zé Dirceu entre eles - não apenas sabem disso como preparavam uma insurreição contra o impeachment de Lula. Bruno Maranhão seria uma das cabeças. Ouvia e participava dos convescotes que seu chefe direto - Lula - fazia querendo agir.

No auge do desgaste da Câmara dos Deputados, com o caso dos sanguessugas, o Marcola do Lula imaginou que a hora havia chegado. Na sua cabeça de agitador contumaz, tinha a certeza de que sairia do Congresso sob ovação. Levou para dentro pelo menos 100 profissionais que a polícia pode identificar revendo em video, pela forma que agiram e pelo seu próprio preparo físico. Receberam treinamento para a guerrilha, fato que a polícia federal e o exército têm conhecimento. Desconectaram-se aparentemente do MST, colocando um L no meio da sigla, de forma a poderem radicalizar ao máximo sem responsabilizar a matriz.

Essa é a realidade que a polícia federal conhece de fio a pavio e que, pelo menos, três deputados do próprio PT comentavam ontem à noite numa mesa brasiliana regada a vinho. O círculo dos comensais de Lula vai sendo conhecido: Delúbio Soares, Okamotto, Bruno Maranhão... Já não enganam mais ninguém. Porque são ingênuos, incautos ou desinformados. A CEN do PT tem 15 membros, excluidos os vogais e líderes no Congresso. Marcola Maranhão é um deles.

Share

The Wall



Depois do Muro de Berlim, o Muro do Arizona
(Foto Reuters)

Share

Adiada votação de processo contra José Janene

Da Folha Online

Um pedido de vista do deputado Ildeu Araújo (PP-SP) adiou para a próxima terça-feira, dia da estréia do Brasil na Copa do Mundo, a votação do processo contra José Janene (PP-PR) no Conselho de Ética da Câmara.

"Janene e nenhuma testemunha foi ouvida. Não há condições de fazer um julgamento neste caso", disse Araújo.

O presidente do Conselho, Ricardo Izar (PTB-SP), afirmou que os parlamentares se comprometeram a comparecer na sessão de terça-feira, pela manhã.

Pitaco do RA: Seja sincero, caro visitante. Lendo um absurdo desses aí de cima, não dá vontade de se filiar ao MLST aí de baixo?

Share

terça-feira, 6 de junho de 2006

Câmara tem o seu Dia da Besta



Manifestantes do MLST quebram tudo...

Share



... viram um carro zero de rodas pro ar...

Share



... destroem máquinas de atendimento eletrônico...

Share



... e deixam um amontoado de cacos de vidro no chão
(Folha Imagem e Agência Câmara)

Share