Já estão à venda os novos cartões-postais Resende de ORo

terça-feira, 31 de março de 2009

'Redentora' faria hoje 45 anos


1964/1967 - Castello Branco


1967/1969 - Costa e Silva


1969/1974 - Garrastazu Médici


1974/1979 - Ernesto Geisel


1979/1985 - Figueiredo


1985 - Tancredo é eleito pelo Colégio Eleitoral


1985 - Morte de Tancredo


1985 - Sarney assume a presidência e encerra a dita cuja

(Fotos Folha Imagem)

Share

Peugeot demite 250 na fábrica de Porto Real

Do Portal G1

A montadora francesa Peugeot Citroën (PSA) demitiu 250 funcionários da fábrica de Porto Real, no Rio de Janeiro, que estavam em licença remunerada desde janeiro, para adequar-se ao novo cenário de queda nas vendas. No acumulado do primeiro bimestre, a empresa comercializou 21.240 unidades no mercado brasileiro, com queda de 5% em relação a igual intervalo de 2008. As exportações de veículos, por sua vez, registraram queda de 30% no período, enquanto as vendas externas de motores caíram 78%.

A empresa informa que outros 450 trabalhadores que estavam em férias coletivas desde janeiro voltarão ao trabalho esta semana para reforçar os dois turnos de trabalho da montadora. Em nota, a companhia diz que as demissões e reintegrações resultaram de negociações com o sindicato local durante todo o mês de março. Os trabalhadores demitidos terão direito a mais três meses de plano saúde e auxílio-alimentação pelo mesmo período.

"Assim, funcionando em dois turnos, a fábrica de Porto Real terá um efetivo de aproximadamente 3.000 funcionários, um número 30% superior aos 2.300 colaboradores que trabalhavam na unidade industrial em 2007, antes da adoção do terceiro turno, quando as linhas de montagem também funcionavam em duas equipes", destaca a companhia.

A montadora argumenta ainda que desde o fim de 2008 adotou várias medidas para preservar o seu efetivo no Brasil. Em dezembro, concedeu férias coletivas para os funcionários de sua fábrica de Porto Real. No início de janeiro deste ano, o terceiro turno foi colocado em licença remunerada por três meses. E, entre 26 de janeiro e 24 de fevereiro, a empresa adotou um novo período de férias coletivas para toda a fábrica.

Share

... E Deus criou Gisele












Fotos realizadas no Hotel Plaza de Nova York - por Mario Testino - para a edição de maio da mais importante revista americana de cultura, moda e política.

A matéria de capa da Vanity Fair inclui, além das fotos acima, um minucioso texto de Leslie Bennets (que ocupa quatro páginas online) contando toda a história de Gisele, desde a sua adolescência em Horizontina (interior do Rio Grande do Sul), onde era chamada pelas colegas de Olívia Palito, até o topo do mundo da moda, passando pelo longo relacionamento com Leonardo DiCaprio até chegar ao recente casamento com Tom Brady. Ilustrando a matéria, uma retrospectiva das fotos de Gisele publicadas na Vanity Fair desde o ano 2000.

E, aproveitando o gancho, a revista pergunta: Quem é a mulher mais bonita do mundo? Na pesquisa online, Gisele Bündchen está em segundo lugar, com 14% dos votos. O primeiro lugar disparado (pelo menos, por enquanto) é de Angelina Jolie, com a preferência de 55% dos votantes. Fazem parte da lista, entre outras, Halle Berry, Beyoncé, Cate Blanchett, Penélope Cruz, Catherine Deneuve e Scarlett Johansson, todas com votações inexpressivas, inclusive o 3º lugar de Halle Berry, com apenas 4% dos votos.

Para votar, clique aqui.

Share

segunda-feira, 30 de março de 2009

Música nova de Bob Dylan é grátis até amanhã


Se você é fã do Bob Dylan, parabéns! É que o outrora Robert Allen Zimmerman colocou à disposição dos internautas uma das músicas do seu novo disco, "Together Through Life", que será lançado apenas no final de abril. A música "Beyond Here Lies Nothin'" pode ser baixada gratuitamente, só hoje e amanhã, no site do cara, ou seja, aqui. Se eu já baixei? Claro! Claro!! Hoje, na redação do RA, só se ouve a nova gravação do nosso grande e incansável guru.

Share

A política de cortes do Angeli


- Sociedade é isso: eu abato uma metade e você a outra.

Publicado no UOL Humor

Share

domingo, 29 de março de 2009

Peugeot derruba presidente da PSA

Do UOL Carros

A PSA Peugeot Citroën decidiu neste domingo (29) destituir seu presidente, Christian Streiff, que dirigia o grupo desde fevereiro de 2007. De acordo com parte da imprensa da França, Streiff foi derrubado do cargo pela família Peugeot, que detém cerca de 30% do capital da PSA e 45% do direito de voto. Ele será substituído por Phillipe Varin, que assume em 1º de junho. Haverá um presidente interino até lá. O futuro novo chefão da PSA dirige atualmente o grupo siderúrgico Corus.

Um comunicado do conselho da PSA, presidido por Thierry Peugeot, afirma que, com as "dificuldades excepcionais enfrentadas pela indústria automotiva, se impunha uma mudança no comando do grupo". Streiff e a família Peugeot, segundo a imprensa francesa, tinham frequentes divergências sobre os caminhos a serem seguidos pela empresa.

Os recentes resultados da PSA ajudaram a derrubar Streiff. O prejuízo do grupo em 2008 foi de 343 milhões de euros (ante um lucro de 885 milhões en 2007). E, para o executivo, 2009 será provavelmente mais um ano de prejuízos. Em fevereiro último, a PSA e a Renault obtiveram um pacote de ajuda estatal de 3 bilhões de euros. Em volume de produção, a PSA é a sétima maior montadora do mundo e a segunda na Europa - perde apenas para o grupo Porsche, que inclui a Volkswagen.

Matéria editada pelo RA.

Share

Imagens de domingo

Resende sedia '1º Desafio do Remo'


























Fotos feitas entre 12:58 e 13:35

Share

sábado, 28 de março de 2009

Resende participa do amplo apagão mundial


Kuala Lumpur, na Malásia, antes e durante o apagão (Foto Reuters)

Na última hora, as autoridades confirmaram a participação de Resende na ação intitulada Hora do Planeta, promovida pelo segundo ano consecutivo pela ONG (organização não governamental) WWF. A demora na confirmação se deveu ao fato de que Resende - eleita no ano passado a Campeã Mundial dos Apagões - ser a cidade que mais contribui para a luta contra o aquecimento global. Afinal, só este ano já foram registrados 12 amplos apagões locais.

- Mesmo assim - disseram as autoridades - achamos que não custaria nada darmos mais essa contribuição à melhoria do clima do planeta.

A ação no Brasil - marcada para acontecer entre 20:30 e 21:30 - vai deixar às escuras grandes atrações do Rio de Janeiro (o Cristo Redentor, o Pão de Açúcar, o Parque do Flamengo e a orla de Copacabana) e de São Paulo (a ponte Octavio Frias de Oliveira, o Monumento às Bandeiras, o viaduto do Chá, o Teatro Municipal, os estádios do Pacaembu e do Morumbi, o Obeslico e o Parque do Ibirapuera).

Em Resende, o amplo apagão se estenderá - como sempre acontece - pelos bairros Comercial, Campos Elíseos, Jardim Tropical e Montese.

Share

Fla pega o Resende em clima de vingança

Do UOL Esporte

Depois de ser atropelado pelo Resende na semifinal da Taça Guanabara, na derrota por 3 a 1 em pleno Maracanã, o Flamengo reencontra o algoz neste sábado, às 16h10, no Engenhão, pela sexta rodada da Taça Rio, o segundo turno do Campeonato Estadual do Rio de Janeiro. No entanto, apesar de todos evitarem a qualquer custo encarar o compromisso como uma revanche, algumas declarações mostram que o Rubronegro ainda está com a espinha entalada em sua garganta.

Além do gostinho de devolver a derrota do turno anterior, o grupo sabe que a partida ganha contornos de decisão. Em caso de um novo revés, o Flamengo pode despencar ladeira abaixo na tabela do Grupo B.

Com dez pontos, o Rubronegro perde a liderança para o Botafogo, com a mesma pontuação, no saldo de gols. Mas o problema é que o Bangu aparece em terceiro, também com dez, Friburguense em quarto, com nove, e Volta Redonda e Macaé em quinto e sexto, respectivamente, com sete. Já o Resende, que é do Grupo A, tem sete pontos e está na quarta colocação.

"Muitos questionaram a qualidade do nosso grupo depois daquela partida. Por isso posso dizer que a motivação vai ser dobrada. Sabemos do nosso potencial", disse Leonardo Moura, que, assim como o volante Willians, retornam depois de cumprirem suspensão pela expulsão no clássico com o Vasco.

Artilheiros em alta

A partida também coloca dois dos principais goleadores da competição no mesmo espaço físico. Pelo Resende, Bruno Meneghel lidera de maneira isolada a tabela dos goleadores com 11 gols. Já pelo lado do Flamengo é Josiel quem começa a ganhar espaço. Com os três marcados diante do Madureira, o atacante chegou aos nove e vai com tudo em busca do topo.

Para este compromisso o técnico Carlos Roy não poderá contar com os meias Juninho e Vinícius, que foram expulsos contra o Boavista. Além deles, os zagueiros Leandro e Márcio Costa e os meias Beto e Fábio Azevedo continuam entregues ao departamento médico. Por outro lado, o zagueiro Breno e o meia Fred retornam de suspensão.

FLAMENGO X RESENDE:

Data: 28/03/2009 (sábado)
Local: Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ)
Horário: 16h10
Árbitro: Willian de Souza Nery (RJ)
Auxiliares: José Carlos de Arruda (RJ) e Ronaldo Kennup (RJ)
Transmissão: Rede Globo e PPV

Flamengo: Bruno; Everton Silva, Fábio Luciano, Ronaldo Angelim e Juan; Aírton, Willians (Erick Flores), Ibson e Leo Moura; Zé Roberto e Josiel.
Técnico: Cuca

Resende: Cléber; Bruno Leite, Breno, Naílton e Marquinhos; Márcio Gomes, Fred, Bruno Reis (Hiroshi) e Léo; Bruno Meneghel e Viola.
Técnico: Carlos Roy

Share

sexta-feira, 27 de março de 2009

Da nova série 'Porque o Brasil é o Brasil'

Intocáveis e invencíveis

Crônica de Nelson Motta (via e-mail)

Não tenho mais nenhuma ilusão de um dia ver algum desses criminosos travestidos de parlamentares atrás das grades e devolvendo o que nos roubou. Eles são muitos, e invencíveis. Sob fogo cruzado de denúncias, juntam-se para se defender, como fizeram PT e PMDB no Senado, embora digam sempre que é pela instituição, a mesma que eles aviltam e apequenam com seus atos.

O dinheiro roubado de nossos impostos, teoricamente, pode até ser recuperado, mas o crime de desmoralizar uma instituição democrática não tem preço.

O que nos resta? Confiar na Justiça? Na Polícia? No ladrão? Com Sarney e Renan comandando o Senado e espantados com a descoberta das 181 diretorias? A maior parte foi criada pelos dois. O resto, por Jader, ACM e Lobão. E pior. Foram criadas por resoluções da Mesa e ninguém reclamou. E mesmo se reclamasse não adiantaria nada. Tudo dentro da lei, na liturgia do cargo.

Seria um exagero comparar as disputas pelo poder no Congresso com as guerras de quadrilhas pelos pontos de venda de drogas nas favelas cariocas? Só porque uns vendem crack e cocaína e outros, privilégios e ilegalidades? Guerra é guerra, vale tudo na disputa pelos pontos de poder. Se um tiroteio é de balas, o outro é de números e nomes, mas sempre sobram balas perdidas. Mas, quando o cerco aperta, os dois bandos acertam um armistício: o verdadeiro inimigo é a policia. Ou, no caso do Senado, a opinião pública. Porque eles não temem a polícia. Nem a Justiça. Eles só têm medo de perder eleição.

Diante do pacto de não agressão entre os dois bandos, resta-nos confiar nos ódios, nas invejas e nos ressentimentos das legiões de apadrinhados que estão perdendo a boca e se vingando de seus traidores. Que muitas falas perdidas encontrem seus alvos.

Diante da certeza de que eles vencerão, que jamais pagarão por seus crimes, que continuarão ricos e corruptos, e até mesmo respeitáveis, resta-nos ridicularizar suas figuras toscas, seus figurinos grotescos, seus cabelos tingidos, suas caras botocadas. Para que suas esposas e amantes leiam, e seus filhos se envergonhem deles no colégio. Como nós nos envergonhamos todo dia.

Share

Da nova série 'Porque o Rio é o Rio'

Começa hoje nova crise na Segurança do Rio

Xico Vargas, no Ponte Aérea

Explode nesta sexta-feira uma crise de boas dimensões na área de Segurança do Rio de Janeiro. Reúnem-se no fim da tarde no hotel Presidente, na praça Tiradentes, centro da cidade, todos os peritos do Instituto de Polícia Técnica que ocupam postos de chefia. Pretendem bater o martelo sobre a entrega dos cargos ao diretor de Polícia Técnica e Científica, Walter da Silva Barros, na segunda-feira, às duas da tarde, num encontro na Academia de Polícia.

Move-os um conjunto de queixas para as quais, afirmam, não têm encontrado respostas no governo do estado. No centro dessa discussão estão a existência de mais de 20 mil laudos à espera de conclusão, uma tonelada de projéteis de arma de fogo que aguardam exame de balística, mais de 30 mil gravações à espera de transcrição e, causa desse absurdo, o deficit de mais de 600 peritos no quadro de pessoal.

Em outro ramo da mesma área a crise se concentra sobre o novo Instituto Médico Legal, que já nasce tisnado por uma penca de denúncias. Vão do superfaturamento à desordem ambiental. Por exemplo: a criação teve por base projeto calculado em 22 milhões de reais de custo total – obras físicas e equipamentos. Essa grana já foi e a construção parou porque faltam cinco milhões. Mais o custo de todos os equipamentos. É mole?

Além disso, o novo IML embute um crime contra o meio-ambiente: não tem estação de tratamento de dejetos. Todo o despejo (vísceras infectadas, produtos químicos, material contaminado) será feito no canal do Mangue - que lhe é vizinho – e, dali, para a baía de Guanabara. Não fosse suficiente essa lambança, como toda obra parada o Instituto já exibe efeitos da deterioração. Sem uso e vazia, a caixa d’água rachou. Sem movimento, ocupantes ou vigilância eficiente as letras de bronze da fachada foram roubadas.

Posto a comandar um prédio vazio, o diretor do Instituto bateu em retirada. Para o lugar foi nomeada a delegada Marta Cavalieri. Até há pouco essa senhora comandava a 41a. delegacia, no sub-bairro do Tanque, Jacarepaguá. Asseguram os peritos que teria sido retirada do lugar por baixa produtividade.

Sem perícia ou IML, a já escassa mobilidade dos inquéritos policiais no Rio desaparecerá de vez.

Share

quinta-feira, 26 de março de 2009

Lá como cá


Mosquito da dengue ataca a Argentina

Share

Ronaldo, o eterno retorno

Jean-Pierre Langellier, no Le Monde

É um acontecimento considerável para o futebol brasileiro, talvez mesmo para todo um povo: Ronaldo ressuscitou. De volta ao país no ano passado, machucado e gordo, o "Fenômeno" encontrou um clube, o lendário Corinthians de São Paulo, e, sobretudo, muito rapidamente, balançou as redes. Foram dois gols em três partidas - o texto foi concluído antes da partida de ontem (25), do Corinthians contra a Ponte Preta -, resultando em um empate e uma vitória no campeonato local.

O ex-centroavante prodígio mudou de visual. A cabeça raspada desapareceu sob os cabelos pretos e cacheados. A sombra de um bigode e um início de barbicha ornam o rosto um pouco inchado. O maior atacante de sua geração, com a idade (32 anos), também mudou o seu jogo. Foram-se os dribles incríveis, as longas corridas solitárias, as acelerações, tudo sobre músculos e magia, que lhe renderam duas Bolas de Ouro (1997, 2002) e três títulos de melhor jogador do ano (1996, 1997, 2002). Hoje ele joga de forma mais coletiva, menos espetacular, mas continua a buscar gols, por instinto. Esse dom inato fez dele o mais eficiente artilheiro da Copa do Mundo. Quinze gols. Um recorde que será difícil de bater.

Para continuar lendo, clique aqui.

Share

quarta-feira, 25 de março de 2009

No espírito do RA


Vi agora há pouco nas Lojas Americanas e gostei bastante da capa de papelão (principalmente do inspirado nome do CD!), da foto da contracapa (que deve ser do grande Maurício Valladares, fotógrafo vitalício dos Paralamas) e dos nomes das 11 músicas, uma delas com a participação do maluquete Carlinhos Brown. Mas o melhor de tudo mesmo é saber que uma das mais antigas bandas do chamado Rock Brasil continua em plena forma after all these years. Enquanto a molecada do Fresno e do NX Zero nos envelhece, os Paralamas do Sucesso mantêm acesa a chama da eterna juventude.

Share

Enquanto isso, na Cidade Maravilhosa...








Operação policial na Rocinha, uma das favelas mais nobres do Rio
(Fotos EFE e AFP publicadas no UOL Notícias)

Share

Camisinha do Papa


Foto AFP

Mulher mostra embalagem de preservativos que trazem a foto do papa Bento 16 e a frase "Eu disse não!", em Paris, na França. O produto foi feito e distribuído em protesto contra a proibição da Igreja Católica ao uso de camisinha para prevenção da AIDS.

Visto no UOL Notícias.

Share

terça-feira, 24 de março de 2009

Hotel celebra os 40 anos do 'Bed-in for peace'






Texto do Portal G1

O inusitado e polêmico protesto de John Lennon e Yoko Ono "Bed-in for Peace" ("Na cama pela paz") voltou, 40 anos depois, a Amsterdã. O quarto do hotel onde o ato ocorreu foi aberto para exposição, e várias mostras recriam seu espírito pacifista.

Graças à mostra "Da Holanda com paz", fãs e curiosos poderão lembrar daquele 24 de março de 1969, quando, alheios às críticas dos mais céticos, os dois artistas iniciaram a particular reivindicação com a qual passaram sua lua-de-mel trancados em um quarto para pedir a paz mundial.

Rodeados por cartazes com mensagens como "Bed Peace" ("Paz na cama"), "I love Yoko" ("Eu amo Yoko") ou "Grow your hair" ("Deixe seu cabelo crescer"), os recém-casados aproveitaram a repercussão midiática de seu recente casamento em Gibraltar para pedir o fim da Guerra do Vietnã.

O apelo foi feito a mais de 300 fotógrafos e repórteres de todo o mundo, os quais eram recebidos de pijama diariamente das 9h às 21h.

"O hotel Hilton foi o único hotel de sua categoria em Amsterdã que aceitou hospedar o casal, já que, naquele momento, a polêmica rodeava John Lennon por suas relações com as drogas", disse o diretor-geral do estabelecimento, Roberto Payer.

Agora, o hotel quis fazer sua homenagem particular a um dos casais mais midiáticos do século XX com esta exposição, que, em apenas dois dias, já foi visitada por mais de mil pessoas.

Imagens do casal na cama com as mãos dadas, tocando violão, arrumando tulipas e fotos que refletem cenas cotidianas, nas quais aparecem tomando café-da-manhã ou falando ao telefone, poderão ser vistas gratuitamente até 29 de março.

Entre as 40 imagens do casal contidas na mostra organizada pelo hotel há 16 instantâneas inéditas do fotógrafo holandês Nico Koster que, até quatro meses atrás, eram desconhecidas do grande público.

Além da exposição, os curiosos e os seguidores destes dois ícones terão a oportunidade, durante esta semana, de visitar o mítico quarto 702, no qual ambos ficaram hospedados, uma ocasião única, já que, passar uma noite no apartamento custa 1.750 euro (US$ 2.379).

Apesar do alto preço da diária, o quarto é um dos mais procurados do hotel, já que, além de reviver a experiência de John e Yoko, os noivos podem se casar nele, afirmou Payer.

Trechos de canções dos Beatles, fotografias e dois desenhos originais feitos pelo próprio John Lennon durante aquela semana decoram as paredes de um quarto, em cujas janelas ainda se podem ler as mensagens reivindicativas penduradas pelos recém-casados.

As reformas feitas na década de 1980 impedem o visitante de contemplar a mobília original, mas o quarto foi remodelado seguindo o estilo do apartamento que o casal teve no edifício Dakota, de Nova York, depois que a viúva do beatle aprovou o design.

Além disso, o hotel selecionou um grupo de fotografias, nas quais aparecem o dalai lama, Nelson Mandela, pombas brancas voando ou campos de tulipas para ilustrar os 40 anos que se passaram desde então, evocando momentos relacionados com a temática pacifista.

"Nós procuramos apenas conseguir um pouco de paz", cantavam os Beatles na música "The Ballad of John and Yoko", canção que Lennon escreveria pouco tempo depois para responder às críticas dos que não compreenderam sua luta.

Apesar de, infelizmente, não terem alcançado seu objetivo, na memória de todos perduram, 40 anos depois, a vontade de mudar o mundo e o espírito inconformista de dois pacifistas revolucionários.




Todos falam sobre ministros, sinistros, revoluções, evoluções, flagelações, meditações, Hare Krishnas, Nações Unidas...

Tudo o que nós dizemos é "dêem uma chance à paz!"

Share

segunda-feira, 23 de março de 2009

Somos todos criminosos agora


Dupla britânica grava música inspirada na morte de Jean Charles

Share

domingo, 22 de março de 2009

Mais uma ampla homenagem


Kit de sobrevivência do consumidor de energia elétrica resendense

Share

Reflexões dominicais do Millôr


Poemeu Efemérico
Viva o Brasil
Onde o ano inteiro
É primeiro de abril


Do Millôr Online.

Share

sexta-feira, 20 de março de 2009

Ônibus do Fla traz o trauma do Resende


O novo ônibus e a placa de Resende no detalhe

Do Globo Esporte

Os supersticiosos de plantão devem ter suado frio, na quente manhã de ontem, quando o plástico que escondia o ônibus do Flamengo foi retirado. Estampada na placa, a palavra Resende remetia ao vexame das semifinais da Taça Guanabara e à cidade onde o novo meio de transporte rubro-negro foi fabricado.

Entre sorrisos, Ibson e Bruno foram os primeiros a subir e analisar as instalações: bancos de couro, duas mesas para prática de jogos, telas de LCD e muito conforto. O goleiro até se arriscou como motorista e deu uma leve acelerada.

- Pô, professor, só essa placa é que está complicando - disse, brincando, Ibson.

Matéria editada pelo RA.

Share

Gran Torino








Do UOL Cinema

Com uma energia invejável para os seus quase 79 anos, que completa no próximo dia 31 de maio, o diretor Clint Eastwood tem se mostrado capaz de lançar dois filmes por ano.

Foi assim em 2007, quando levou às telas a dupla de filmes abordando a campanha militar dos EUA no Japão na 2a Guerra, "A Conquista da Honra" e "Cartas de Iwo Jima". E também em 2008, quando realizou os dramas "A Troca", indicado para três Oscar, e "Gran Torino", que estreia nesta sexta*.

Passando batido praticamente de todas as premiações nos EUA, sem nenhuma indicação ao Oscar, "Gran Torino" só foi lembrado pelo National Board of Review, entidade que reúne diversos estudiosos e críticos norte-americanos e que entregou a Clint Eastwood seu troféu de melhor ator e ao novato Nick Schenk, o de melhor roteiro original no ano passado.

Esta ausência de premiações não significa falta de qualidades do filme, que é um dos mais sólidos trabalhos do ator e diretor. Seu personagem aqui, Walt Kowalski, é a própria encarnação da velha América, nostálgica de seu papel de heroína do mundo, que teve seu auge na 2a Guerra Mundial e começou a decair pouco depois, na Guerra da Coreia. Uma guerra que tem, aliás, tudo a ver com a amargura deste personagem.

Os pesadelos de Walt são povoados pelos rostos dos soldados coreanos que matou naquela guerra. Aposentado, viúvo e irascível, ele vê sua vizinhança em Detroit ser ocupada, paulatinamente, por outros rostos orientais, como os dos hmongs.

Povo espalhado entre China, Tailândia e Laos, os hmongs apoiaram os norte-americanos em outra guerra, a do Vietnã. Pagaram caro por isso. Com a vitória dos vietcongs comunistas, nos anos 1970, os sobreviventes tiveram de refugiar-se nos EUA.

A densa história de "Gran Torino" registra também um comentário econômico. Walt sente falta de um tempo em que a América era a economia mais dinâmica do mundo e Detroit, sede da indústria automobilística, uma de suas principais bases.

Ele mesmo foi funcionário da Ford e guarda na garagem uma pérola daqueles dias - um Gran Torino 1972 impecável, cuja pintura ele lustra cuidadosamente todos os dias. Ao lado da cachorra Daisy, o carro é seu mais sólido afeto, já que com os filhos e netos ele não consegue encontrar qualquer denominador comum. E vice-versa.

Este ferrenho conservador contém um pouco de cada um daqueles personagens a que Eastwood, em sua longa carreira, soube dar personalidade única. Walt Kowalski é uma espécie de síntese e também de atualização do implacável detetive Dirty Harry, do treinador Frankie Dunn de "Menina de Ouro" (2005), do Bill Munny de "Os Imperdoáveis" (1992) e de tantos outros homens sem nome de seus inúmeros faroestes, capazes de abrir mão das boas maneiras e até da higiene, da ética, nunca.

O relacionamento entre eles começa errado, quando Thao, pressionado por um primo gângster, tenta roubar o Gran Torino da garagem. Como punição, sua mãe e avó, seguindo os preceitos de sua cultura, obrigam-no a prestar serviços para Walt - que a princípio rejeita, mas não consegue recusar.

O filme progride na direção de um confronto urbano bem violento e realista, em que pessoas de bem são cercadas pelo crime organizado. Se a ética é o último reduto dos fortes, Clint Eastwood mostra-se ainda capaz de representar o heroi para todas as épocas e todas as situações.

*Nota do RA: A estréia de "Gran Torino", infelizmente, não acontecerá em Resende. Só nos resta esperar que, a partir do próximo fim de semana, o filme ocupe um horário alternativo em alguma das salas do Cine Show.

Share

segunda-feira, 16 de março de 2009

Juntos pela vida afora


Taí a bela capa do novo disco do grande guru do RA

Share