Já estão à venda os novos cartões-postais Resende de ORo

domingo, 18 de maio de 2008

'De quem é a Amazônia, afinal?', diz 'NY Times'


Foto Reuters

Do site da BBC Brasil

Uma reportagem publicada neste domingo no jornal americano The New York Times afirma que a sugestão feita por líderes globais de que a Amazônia não é patrimônio exclusivo de nenhum país está causando preocupação no Brasil.

No texto intitulado "De quem é esta floresta amazônica, afinal?", assinado pelo correspondente do jornal no Rio de Janeiro Alexei Barrionuevo, o jornal diz que "um coro de líderes internacionais está declarando mais abertamente a Amazônia como parte de um patrimônio muito maior do que apenas das nações que dividem o seu território".

O jornal cita o ex-vice-presidente americano Al Gore, que em 1989 disse que "ao contrário do que os brasileiros acreditam, a Amazônia não é propriedade deles, ela pertence a todos nós".

"Esses comentários não são bem-aceitos aqui (no Brasil)", diz o jornal. "Aliás, eles reacenderam velhas atitudes de protecionismo territorial e observação de invasores estrangeiros escondidos." Acesso restrito O jornal afirma que o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva tenta aprovar uma lei para restringir o acesso à floresta amazônica, impondo um regime de licenças tanto para estrangeiros como para brasileiros.

"Mas muitos especialistas em Amazônia dizem que as restrições propostas entram em conflito com os próprios esforços (do presidente Lula) de dar ao Brasil uma voz maior nas negociações sobre mudanças climáticas globais - um reconhecimento implícito de que a Amazônia é crítica para o mundo como um todo", afirma a reportagem.

O jornal diz que "visto em um contexto global, as restrições refletem um debate maior sobre direitos de soberania contra o patrimônio da humanidade".

"Também existe uma briga sobre quem tem o direito de dar acesso a cientistas internacionais e ambientalistas que querem proteger essas áreas, e para companhias que querem explorá-las. É uma briga que deve apenas se tornar mais complicada nos próximos anos, à luz de duas tendências conflituosas: uma demanda crescente por recursos energéticos e uma preocupação crescente com mudanças climáticas e poluição."

Share

2 Comments:

At 18/5/08 15:22, Blogger MARISCO said...

Foi só a Marina Silva, sair para a canalhada recomeçar essa papo de que a Amazônia é do mundo e o Brasil que se dane.
Que se dane é o cacete. Aliás, que sentem no cacete e esperem. Já estou achando que o Minc está certo: ocupar a Amazônia com nossa forças armadas. Essa idéia é de arrepiar, pois somos uma nação que viveu muitos anos sob ditaduras e as forças armadas deram sustentação à essas ditaduras, mas se é para defender e garantir nosso território somos obrigados a correr o risco.

 
At 18/5/08 20:17, Blogger Otacílio Rodrigues said...

Concordo com você, Marisco. O porém - e sempre tem um porém - é que a ocupação da Amazônia pelos militares já foi idéia até do Sarney, com o Projeto Calha Norte, idealizado em 1985.

Esse projeto previa a ocupação de uma faixa de 1,2 milhão de Km² de fronteiras, área correspondente a um quarto da Amazônia Legal e a quase 15% da área total do país.

E sabe porque a Calha Norte encalhou? Principalmente pela resistência de ambientalistas preocupados em preservar as culturas indígenas e os recursos naturais da região.

Como você vê, a coisa é complicada. E enquanto todos brigam sem ter razão, a opinião pública mundial fecha o cerco em torno do consenso de que é necessário invadir a Amazônia para o bem da humanidade.

Um abraço.

 

Postar um comentário

<< Home