Já estão à venda os novos cartões-postais Resende de ORo

quinta-feira, 29 de maio de 2008

Mídia valoriza 'contradições' dos Nardoni

Reflexões sobre os últimos acontecimentos do Caso Isabella:

1. A Globo, no Jornal Hoje de hoje, disse - "com exclusividade" - que havia descoberto uma contradição no depoimento do casal Nardoni à justiça: enquanto Alexandre afirmou que desceram todos juntos para acudir Isabella caída no jardim, o vizinho do primeiro andar disse que Alexandre chegou primeiro, seguido de Anna Carolina e dos filhos, que chegaram "uns 4 minutos depois".

Muito bem. O que significa essa contradição de minutos no calor dos acontecimentos (o pai correndo para ver a filha que havia sido jogada pela janela)? Alguém sabe, de cabeça, dizer com exatidão quanto tempo um elevador gasta para percorrer seis andares? Ou quanto tempo uma pessoa leva para descer esses mesmos seis andares pela escada? E mesmo que esses cálculos fossem simples (sem a ajuda de um relógio ou de um cronômetro), ainda assim, que importância tem se Alexandre desceu sozinho ou acompanhado da família? Este é um fator determinante para esclarecer a morte de Isabella?

2. No site Última Instância, um criminalista diz que contradições nos depoimentos podem complicar a defesa do casal Nardoni. Como exemplo, ele cita o fato de Anna Carolina ter dito que no início do relacionamento sentia ciúmes da ex-mulher de Alexandre (mãe de Isabella), enquanto Alexandre afirmou que o ciúme nunca existiu.

Ora, ora, ora! Ciúme é um sentimento pessoal e intransferível. Anna Carolina pode muito bem ter sentido ciúmes da primeira mulher de Alexandre (o que é absolutamente normal) e nunca ter dito isso a ele. Qual é o problema nisso? Será que todas as segundas esposas enciumadas têm predisposição a atirar pela janela os filhos do primeiro casamento do marido? Se não, por que insistir nesse ponto?

3. O Última Instância destaca ainda o fato de Anna Carolina ter dito aos juízes que havia perdido as chaves do apartamento dias antes da tragédia, o que não foi comentado por Alexandre.

Eu, particularmente, já nem sei quantas vezes alguém da família perdeu as chaves aqui de casa. Nesse exato momento, lembrei que esqueci de passar no chaveiro hoje para fazer novas cópias das chaves que o meu filho mais velho perdeu há mais de um mês. Sinceramente, não sei se minha esposa sabe disso. Acho melhor perguntar a ela urgentemente (nunca se sabe...).

4. E as contradições da perícia no carro e no apartamento dos Nardoni? Ninguém fala nada? Será que todos já se esqueceram que sinais de sangue (na cadeirinha do bebê no carro e no chão do apartamento) passaram a ser "manchas não identificadas"? Será que todos já se esqueceram que a perícia "plantou" até vômito de Isabella na camisa do pai? Essas contradições de caráter médico-legal não complicam a acusação do casal Nardoni?

Retomo o assunto quando houver novidades. Enquanto isso, pode ser que dois inocentes estejam cumprindo pena antecipada por um crime que não cometeram.

Share

0 Comments:

Postar um comentário

<< Home