Já estão à venda os novos cartões-postais Resende de ORo

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Ficou maior. E daí?

Celso Ming, no Estadão

Ontem o Guardian - importante diário de Londres - publicou matéria que já considera o Brasil a 6ª maior economia do mundo, ultrapassando a do Reino Unido.

O risco é o de que agora o governo de Brasília e o cidadão médio deem mostras de subdesenvolvimento e recebam a informação com doses excessivas de autolouvação - e, assim, se perca o senso de realidade.

Também em economia, o brasileiro tende a se considerar maioral. E, como no futebol, continua nutrindo a sensação de campeão do mundo. Lá pelas tantas, sobrevém a lavada de 4 a 0 do Barcelona em cima do Santos para devolvê-lo ao rés do chão. Assim, é preciso ver com objetividade notícias assim e a confirmação que virá mais cedo ou mais tarde.

Tamanho do PIB é como tamanho de caneca. E o Brasil é um canecão. Tem quatro vezes a população do Reino Unido e 35 vezes a sua área territorial. Natural que, mais dia menos dia, ultrapasse o tamanho da economia de países bem mais acanhados em massa consumidora e extensão.

Enfim, é necessário examinar esses conceitos não só pela dimensão da caneca, mas também pela qualidade de seu conteúdo. A renda per capita britânica, por exemplo, é mais de três vezes maior do que a do Brasil e a partir daí se começa a ver as coisas como realmente são.

A economia brasileira ainda é um garrafão de mazelas: baixo nível de escolaridade, concentração de renda, bolsões de miséria, déficit habitacional, grande incidência de criminalidade, infraestrutura precária, enorme carga tributária, burocracia exasperante, Justiça lenta e pouco eficiente, corrupção endêmica... e por aí vai.

Para ler o texto integral, entre aqui.

Editado e publicado no Resende Afora.

Share

1 Comments:

At 27/12/11 14:05, Anonymous Weber said...

Isto é um assunto que dá panos pra manga, mas, o mais importante, é que o Brasil vem apresentando evoluções em seus índices desde o surgimento do Real.
De todas as mazelas listadas pelo Celso Ming, creio que o baixo nível de escolaridade seja a pior de todas. Além desse baixo nível, acrescentaria a sua qualidade.

 

Postar um comentário

<< Home