Já estão à venda os novos cartões-postais Resende de ORo

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Carta de um pescador atormentado

Zezé Leitão, de Morada Nova de Minas

Depois que me aposentei não aguento ficar em casa. Prefiro passar meu tempo fazendo aquilo que eu mais gosto: pescar. Comprei um pequeno barco de pesca e tentei várias vezes levar minha esposa comigo, mas ela nunca gostou de pescarias.

Um dia, na lojinha de pesca da minha cidade, comecei a conversar com Regininha, a responsável pela loja que, por coincidência, também adora pescar. E em função dessa nossa afinidade, acabou surgindo uma grande amizade.

Como eu disse, minha esposa detesta pescaria. Ela não somente se recusa a pescar comigo, como também reclama que eu gasto muito tempo pescando.

Pois muito bem. Algumas semanas atrás, resolvi levar Regininha para aquela que foi uma das minhas melhores pescarias. Eu não somente pesquei um belíssimo tucunaré, como também, alguns minutos mais tarde, vi Regininha pescar outro igualzinho!

Então, tirei uma foto da Regininha segurando os dois tucunarés que pescamos em Morada Nova de Minas e mostrei para a minha esposa, pensando que, talvez, vendo a foto, ela passasse a se interessar por pescarias.

Pois ela não só não gostou como me proibiu de voltar a pescar. Exigiu também que eu vendesse imediatamente o meu barco. Sinceramente, acho que ela não gosta de me ver alegre, me divertindo...

E aí, eu pergunto, o que devo fazer? Peço para minha esposa esquecer tudo isso e continuo com as minhas pescarias ou vendo o meu barco como ela mandou?

Contando com a ajuda de vocês, deixo aqui o meu muito obrigado pela atenção.

PS: Abaixo, a foto da Regininha com os dois tucunarés.


Enviado pelo grande amigo Mílton, de Campo Belo.

Share

3 Comments:

At 25/9/09 13:40, Anonymous Anônimo said...

Taí! Não gostei da Regininha. Achei-a muito posuda e convencida. Acho que o Milton deve parar de pescar, principalmente com aquela moça. Isso tá me cheirando a pólvora e com pólvora não se brinca, pode explodir na cara da gente. Eu não brinco (aliás nem pesco). Entretanto, acho que os tucunarés têm bom tamanho e dão uma peixada muito gostosa. Disse!

Abração.
Acácio

 
At 25/9/09 21:34, Blogger Otacílio Rodrigues said...

Grande Mestre! Não sei não, mas, assim à primeira vista, a Regininha me pareceu uma moça muito boa. Acho até que ela não tem maldade na alma.

O problema é o Zezé Leitão, que, se vender o barco, não vai mais poder pescar com ela. E se isso acontecer, aonde ele vai conseguir tucunarés bonitos iguais àqueles?

Peixões assim não são fáceis de pegar. Sem barco então e sem a Regininha para ajudar, aí fica mesmo impossível. Coitado do Zezé Leitão...

Um grande abraço!

 
At 26/9/09 12:19, Anonymous Anônimo said...

Ih! Sô!
Pensei que o pescador era o Milton, lá de Campo Belo (componente dos Kingstones (saudade!). É o Zezé Leitão. Coitado, acho que ele vai ficar atormentado muito tempo.
Fica aí a retificação.
Acácio

 

Postar um comentário

<< Home