Já estão à venda os novos cartões-postais Resende de ORo

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Resumo do 398º capítulo da novela 'Trem-bala Brasil'

Depois da ausência de propostas para o leilão do trem de alta velocidade, que vai ligar Rio de Janeiro, São Paulo e Campinas, o governo decidiu hoje (11) fatiar a licitação do projeto em duas etapas: a primeira vai definir a tecnologia e o operador do trem-bala e a segunda escolherá a empresa responsável pela construção do projeto.

O diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Bernardo Figueiredo, disse que as empresas estrangeiras detentoras da tecnologia não conseguiram formar consórcios com empreiteiras, o que levou ao fracasso do leilão. Com a divisão do edital, o governo espera um aumento de competitividade na licitações, principalmente para a escolha da tecnologia e do operador.

Texto da Agência Brasil - Edição e título do RA

Publicado no Resende Afora.

Share

8 Comments:

At 11/7/11 20:21, Anonymous Anônimo said...

Esse trem bala não vai sair nunca!

 
At 11/7/11 20:38, Blogger Partido Verde - Resende - RJ said...

Assim que o BNDES resolver bancar todo o investimento que deveriam ser bancados pelas empresas privadas, certamente aparecerão diversos candidatos!

 
At 12/7/11 05:52, Anonymous Weber said...

Certamente as empresas interessadas estão criando dificuldade para vender facilidade.
Essa diferença de orçamento de 30 bilhões do Governo para 52 bilhões das concessionárias está com cara de ser uma manipulação para conseguir mais dinheiro com o BNDES.
Lembrando que o Ministério encarregado deste projeto, o do Transportes, está muitíssimo envolvido em corrupções.

Pergunta: - É necessário mesmo um trem-bala?

 
At 12/7/11 11:22, Anonymous Anônimo said...

Quanto mais demorar, melhor, maiores serão as chances de Resende abrigar a única ou conquistar uma segunda estação na região, visto o crescimento frenético de nossa cidade e a estagnação de BM e VR.

Caro, Weber, transporte ferroviário sempre será importante. Nossa malha antiga é quase inútil devido ao serpenteamento e perímetros urbanos, por isso o abandono. A FCA entre Niterói e Campos, ninguém quer, nem de graça. Uma ferrovia moderna, quase em linha reta, entre Rio e SP, as maiores cidades do Brasil, será bem vinda, independente do trem que vai circular. Afinal todos pedem ferrovias no Brasil, como solução.

Att, Aurélio.

 
At 12/7/11 12:37, Anonymous Weber said...

Oi Aurélio

Penso no custo-benefício. O governo colocará muito dinheiro público nessa obra. Por que não deixar tudo por conta das concessionárias? Se o investimento for 100% da parte dessas, aí sou a favor.
Esperemos como as coisas se desenrolam...

 
At 12/7/11 13:52, Anonymous Anônimo said...

Oi Weber, se o investimento for todo por conta do investidor ele vai ter quer cobrar o dobro do preço por bilhete para ter o retorno do investimento num prazo aceitável, segundo o estudo da Hawcrol group. Logo com o bilhete no dobro do preço, torna o projeto inviável, pois perde para a ponte aérea. Penso que o Governo tem sim que fazer um aporte financeiro, pois a ferrovia será nossa, estará apenas concedida, mas ainda assim útil ao brasileiro ou resendense, por isso o aporte, para viabilizar a ferrovia. Se mesmo com aporte não existe interessado, imagina sem, ninguém quer corre risco. Weber, as obras anteriores ao Trem bala eram pagas e construídas TOTALMENTE pelos governos anteriores e depois concedidas, FERROVIA DO AÇO, DUTRA, MEGA ESTRADAS PAULISTAS, por exemplo. Sinta-se feliz, pois no caso do Trem bala, estamos oferecendo apenas um aporte e não tudo, por isso o chororô das empreiteiras, que estavam acostumadas com moleza.

Att, Aurélio.

 
At 12/7/11 15:39, Anonymous Weber said...

Perfeitas as explicações.
Obrigado, Aurélio.

 
At 12/7/11 15:40, Anonymous Weber said...

Perfeitas as explicações.
Obrigado, Aurélio.

 

Postar um comentário

<< Home