Já estão à venda os novos cartões-postais Resende de ORo

segunda-feira, 30 de janeiro de 2006

'Central do Brasil' em 'Ponto Final'

Trecho de entrevista com Woody Allen publicada na Folha Online:

Folha - Numa das cenas de "Ponto Final" (recém-lançado filme de Woody Allen), o casal vai assistir a "Central do Brasil", filme de Walter Salles. Por quê?

Woody Allen - Eu não conheço o diretor, mas assisti ao filme e achei que era uma excelente obra. Aliás, sempre que me indicam filmes brasileiros eu vejo, assim como de qualquer diretor europeu, sul-americano ou asiático.

Folha - Então, diferentemente do espectador médio norte-americano, o sr. não tem problema com legendas?

Allen - Não. Na verdade, eu tenho problema é com os filmes americanos, porque existem tão poucos que são realmente bons. Adoro ir ao cinema, mas, num ano, consigo ver três, quatro, no máximo cinco bons filmes americanos. Depois disso, tenho de passar para os estrangeiros, aos quais sou muito agradecido.

Folha - O sr. já disse ser leitor de Machado de Assis. Continua?

Allen - Sim, ele é maravilhoso. Muito inteligente. O último que eu li é aquele sobre o marido ciumento que desconfia da traição do melhor amigo com a mulher, que tem um nome curioso...

Folha - Capitu. O sr. leu "Dom Casmurro".

Allen - Esse mesmo! É maravilhoso! Não muito conhecido nos Estados Unidos, infelizmente, embora a tradução que eu tenha lido seja primorosa.

Folha - O sr. declarou nos anos 80 que não vinha ao Brasil porque não visitaria um país em que as crianças eram mortas nas ruas. O pensamento ainda vale?

Allen - Não acredito que eu tenha dito isso. Provavelmente eu disse que eu não iria ao país porque tinha medo do clima no Brasil então, violento, ameaçador. Agora, como isso seguramente mudou, claro que eu visitaria o país. Bem, como sou um covarde no tocante a viagens, provavelmente não iria nem assim... Para falar a verdade, eu nunca estive ao sul da fronteira dos Estados Unidos com o México. Só viajo quando os estúdios me mandam para algum lugar e eu não posso recusar. Ou, muito de vez em quando, para tocar jazz.

Share

0 Comments:

Postar um comentário

<< Home