Já estão à venda os novos cartões-postais Resende de ORo

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Imagens de segunda




















Fotos feitas entre 16:44 e 17:24

Publicado no Resende Afora.

Share

10 Comments:

At 10/1/12 06:44, Anonymous Weber said...

Alguém tinha alguma dúvida de que isso iria acontecer? Sem querer ser pessimista, vai piorar.

 
At 10/1/12 18:46, Anonymous Anônimo said...

Com certeza... deixa o Paraiba encher......

 
At 10/1/12 18:52, Blogger Otacílio Rodrigues said...

A tendência é essa, grande Weber. Principalmente se a chuva seguir constante como nas últimas semanas.

O que me espanta é que uma obra aparentemente simples (limpar a margem de um rio) tenha sido tão mal feita, tão mal planejada.

E, também, que na outra margem do mesmo rio um calçadão recém-construído tenha desabado.

O pior é que estão querendo construir uma grande passarela entre a Ponte Velha e o Mercado Popular...

 
At 10/1/12 21:19, Anonymous Anônimo said...

A obra na beira rio ficou ótima. Aquele local sempre esteve abandonado. Viviam alí moradores de rua que alternavam uso de drogas e o trabalho ilegal de flanelinha. Como moradora do local, posso afirmar, tinha medo de passar por lá. Nunca elogiam nada e só sabem reclamar. Parece que vocês se esqueceram de como era a cidade na época da família Carvalho. Eles não fazem, apenas enganam/maquiam. Local abandonado atrai marginalidade. Já ouviram falar da teoria das janelas quebradas? Não sou parente de político tampouco gosto de política mas a cidade esta visivelmente muito melhor e mais linda mesmo com tanto crescimento.
Desculpem qualquer coisa.
Amélia

 
At 11/1/12 12:57, Blogger Otacílio Rodrigues said...

Cara Amélia:

Não costumo comparar um governo com outro, apenas registro o que vejo. E o que vejo atualmente é uma obra que levou quase um ano para ficar pronta e que desmoronou (pelo menos, parte dela) depois das primeiras chuvas de verão.

Se isso não é digno de registro - e de indignação -, então não sei para que lado deveria apontar a lente da minha câmera. Seria, talvez, para o passarinho que canta na árvore ao lado do enorme buraco que se formou na beira do rio?

Me desculpe, mas isso para mim não é jornalismo e sim omissão e conivência com os responsáveis por uma obra que poderia ter causado ferimentos sérios em alguém que estivesse passando pelo local na hora do desmoronamento.

Sou, sim, a favor de obras que melhorem a cidade, como esta realizada na avenida Nova Resende. Se você se der ao trabalho de olhar minhas postagens mais antigas, vai ver que acompanhei (e mostrei em detalhes) todas as etapas da transformação da avenida.

Está tudo registrado nos arquivos do blog. Assim como registrei todas as obras importantes que aconteceram em Resende nos últimos quase sete anos (o RA faz aniversário em abril).

Isso porque gosto de acompanhar grandes obras urbanas, como, por exemplo, a construção do shopping PátioMix ou a excelente reforma da avenida Dorival Marcondes Godoy. Mas não gosto quando alguma delas, por falta de planejamento adequado, vem abaixo.

E como não pertenço a nenhum partido político, costumo mostrar com o mesmo destaque os sucessos e os fracassos cometidos pelos governantes de plantão.

Mesmo assim, quem me acompanha há mais tempo, sabe que prefiro apontar minha câmera para as coisas belas da cidade, independente de quem tenha sido o responsável pela obra. Desde, é claro, que ela ainda esteja de pé.

 
At 11/1/12 14:35, Anonymous Anônimo said...

Desculpe, mas acho que não entendeu. A pessoa que postou às 21:19 não estava falando mal de seus cliques (acho) e, sim de alguns comentários feitos. Seus cliques costumam ser imparciais e bobo é quem não vê as melhoras da cidade e faz críticas apenas, sem suporte técnico. Outro dia alguém, aparentemente com conhecimento de causa, replicou dizendo que não havia nada de errado com a obra. De obra em beira de rio eu não posso falar, pois sou ignorante, mas concordo com a Amélia em todas as considerações e acrescento que o imponderável (natureza) este ano veio além da conta.

 
At 11/1/12 19:16, Anonymous Anônimo said...

Muito bem. O anônimo acima (14:35) entendeu o meu recado. Acho sensacionais suas fotografias urbanas e a crítica pode ter certeza não foram por conta de tê-las postado e sim por alguns comentários decorrentes dela, comentários ao meu ver injustos. O Brasileiro tem o costume de reclamar de tudo mesmo. Tenho um amigo bem radical que diz sempre o seguinte. Se o Brasileiro ganhar um carro zero km preto, ele vai reclamar: "PUTZ podia ser prata". É assim.

 
At 11/1/12 19:21, Anonymous Anônimo said...

Ahhhh e outra. A obra demorou sim um ano para ficar pronta. Pior é ter demorado 2 centenários para que se tenha tomado a iniciativa de fazê-la e terminá-la, assim como a ampliação das pontes de acesso a cidade que era um verdadeiro absurdo.

Amélia

 
At 11/1/12 20:21, Blogger Otacílio Rodrigues said...

Caríssima Amélia:

A questão aqui não é o tempo (quase um ano!) que se levou para construir um calçadão de aproximadamente 200 metros, mas o fato dele ter desmoronado pouco depois da inauguração.

O que se presume é que tanto tempo (quase um ano!) gasto numa obra relativamente pequena signifique, no mínimo, qualidade máxima no resultado final.

Se tivesse sido assim, eu estaria aplaudindo a obra, mesmo que ela tivesse durado ainda mais tempo.

Só não podia ter acontecido o que aconteceu. Justamente porque não há desculpa. Afinal, um ano (ou quase isso) é tempo mais do que suficiente para se fazer um serviço bem feito e, principalmente, seguro.

Espero que, agora, você tenha entendido o meu recado.

 
At 15/1/12 17:28, Anonymous Anônimo said...

Infelizmente muitos resendenses ainda pensam pequeno e levam qualquer discussão para o lado anti-carvalhistas, anti-rechuanistas. Isso é coisa pequena para uma cidade que quer ser grande. A verdade que todos eles (carvalhistas e rechuanistas) são amadores em suas administrações. Tome como exemplo o que fizeram na outra margem do Paraiba com relação a dragagem de sua margem. È só dar um chegada lá para ver o absurdo da obra executada, coisa de amador e de engenharia pobre, a um custo alto. Ainda não tivemos cheias do Paraíba neste período para ver o que vai acontecer.
Ali a taxa de risco de VDM (Vai Dar Merda)é altíssima, sem contar que as conteções ao longo do Rio Sesmaria foram executadas com recursos dos moradores das regiões afetadas(Chacára do Tácito, Ed. Solar do Rio etc....).
Em tempo: Nas administrações carvalhistas a taxa de VDM também foi alta.......

 

Postar um comentário

<< Home