Já estão à venda os novos cartões-postais Resende de ORo

sexta-feira, 13 de julho de 2007

Vaias impedem Lula de anunciar a abertura do Pan














(Fotos das agências Folha, Reuters, UOL e AFP)

Pela primeira vez na história dos Jogos Pan-Americanos, um presidente da República deixa de fazer o anúncio oficial da abertura. Era de se esperar. Desde que chegou ao Maracanã, com meia hora de atraso, Lula foi vaiado a cada vez que seu nome era anunciado nos alto-falantes. Na última parte da cerimônia - belíssima, por sinal, com muitos fogos, luzes coloridas, canções de Tom Jobim, baterias de escolas de samba e, até, orquestra sinfônica -, o presidente de pé, com o microfone na mão, foi obrigado a ceder a honra de declarar oficialmente abertos os Jogos a Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Olímpico Brasileiro. Não se sabe de quem partiu a ordem para mudar o cerimonial: o que se viu (e ouviu) na tevê foram as caras constrangidas dos presidentes Nuzman (COB), Vasquez Raña (Odepa) e Lula (pobre Brasil) diante do som poderoso de uma vaia a 90 mil vozes. Inesquecível. Tanto a presença de heróis e heroínas que nos fazem sentir orgulho de ser brasileiros - Oscar, Hortência, Magic Paula, Vanderlei Cordeiro de Lima, Gustavo Borges e Joaquim Cruz - quanto a revolta popular contra a mentira e os escândalos políticos de cada dia representados na figura do presidente da República. Confesso que gostei. De tudo o que vi e ouvi.

Share

6 Comments:

At 15/7/07 11:09, Anonymous Anônimo said...

Jogos Pan-Americanos

A vaia do Rio de Janeiro branco
DAVIS COIMBRA/ Enviado Especial/Rio

A vaia do Maracanã ao presidente Lula foi maciça, foi pesada e foi humilhante. Mas há um aspecto nessa vaia que não se pode deixar passar: foi a vaia do Rio de Janeiro branco. Onde estavam os negros na linda festa do maior templo do esporte mundial? Onde estavam os pobres que todos os dias atormentam os motoristas nos sinais de trânsito, esmolam nas esquinas, balançam nos trens e nos ônibus lotados? Quem atravessou a cidade da Barra da Tijuca ao Maracanã viu onde eles estavam: nas favelas pingentes, nas malocas infectas, vivendo no fedor do mangue, entre balas perdidas e papagaios empinados.

Isso não desmerece nem desautoriza a vaia do Maracanã. Os bem nascidos e bem alimentados também têm direito à vaia, e foram 90 mil bem nascidos e bem alimentados que vaiaram o presidente. Mas foram, sim, os bem nascidos, os bem alimentados.

Eu estava no Maracanã. Eu vi: eram todos limpos, corados, vestidos de acordo com a moda, caminhando sorridentes com seus filhos pela mão. Repito: não havia pobres no Maracanã. E repito: isso não torna a vaia menor. Mas isso deixa exposta a maior chaga do Brasil. O Brasil são dois: o Brasil branco, que trabalha, ri, se diverte e protagoniza uma festa tão magnífica como a de ontem. E o Brasil que vive à margem, subnutrido, revoltado, muitas vezes de fuzil na mão, como nas favelas do Rio.

Lula veio deste Brasil. Do Brasil negro. Provavelmente mereceu a vaia. Mas quem o vaiou vem de um lugar do qual ele jamais pertenceu. E talvez tenha sido esse o motivo de ter sido a vaia tão maciça, tão pesada, tão humilhante.

 
At 15/7/07 12:57, Anonymous Anônimo said...

A vaia nao era para o Lula: nao foi o Lula quem comprou bezerros de ouro, ou levou malas de milhoes, com o troco de empréstimos estranhos. A vaia devia ter sido dada em quem envergonha o Brasil. Lula nao mereceu.
Ele apenas tem que fazer alianças com esse tipo de político, para poder governar. E se essa gente ingrata pode hoje vaiar, foi porque Lula sacrificou a sua juventude, lutando exatamente para que o Brasil fosse um país democrata.
Ah, triste país sem memória. Nao foi o presidente Lula quem inventou a corrupção, ela sempre existiu, apenas agora ela vem à tona, graças a democracia.

 
At 15/7/07 13:01, Anonymous Anônimo said...

Qualquer pessoa sabe que o ser humano sofre um efeito chamado contaminação: mesmo que a pessoa nao esteja com intenções de fazer determinada coisa, quando está em meio a grandes multidões ela tente a imitar o gesto do próximo. Muita gente vaiou por que achou bonito, mas essas mesmas pessoas deram 60% de apoio ao Lula, em uma avaliação de duas semanas atrás.
País: respeite o seu presidente!

 
At 15/7/07 18:18, Anonymous Anônimo said...

Realmente a vaia foi maciça, pesada,humilhante e...merecida! Pena que o Lula PROVAVELMENTE NEM OUVIU, , porque NUNCA SABE DE NADA...! Eu estava mesmo comentando dias atrás com amigos que nós, os brasileiros, somos muito pacíficos e aceitamos TUDO que nos enfiam "goela abaixo" Já houve época em que não era assim...Os jovens revoltavam-se, saíam à ruas, protestavam...Hoje o que se vê é que Brasilia transformou-se numa grande, enorme Pizzaria e nós, trouxas e silentes, comemos fatia por fatia dessa massa de escandalos como nunca houve igual, engolindo à seco. Como eu queria estar no Maracanã e juntar minha mais deliciosa vaia ao côro que ali se fez. Parabéns Brasil, acorda Brasil!!!

 
At 16/7/07 03:52, Blogger Marcos said...

Fico impressionado com estes comentarios... em nenhum momento niguem se da conta que aquela era uma festa aonde o presidente representava o brasil. Sim, o Brasil e somente por isso ninguem nunca viu este tipo de coisa acontecer... pq nos brasileiros somos os unicos no planeta e ate mesmo na galaxia a vaiar o nosso pais, a cuspirmos no prato que comemos, a amaldicoar aquilo que somos. Nao vejo os alemaes se amaldicoando e vaiando o seu primeiro ministro em um evento deste tipo, e tampouco imagino algum americano vaiando o Bush em tal tipo de coisa. Como dizia Nelson Rodrigues: tudo isto faz parte da "alma dos vira-latas"... E isso eh uma coisa que nos temos melhor do que qualquer outro povo na terra.

 
At 17/7/07 04:32, Blogger Nyldevam said...

Rio de Janeiro continua lindo mais lindo com PAN-naca do Presidente Lula sendo vaiado. Salve-salve o Rio de Janeiro. Todos que vaiaram merecem medalha de ouro.
Aqui LULA pra você UUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU
Para o Rio de Janeiro APLAUSOS+++++APLAUSOS.

 

Postar um comentário

<< Home