Já estão à venda os novos cartões-postais Resende de ORo

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Porque Dilma ainda não demitiu Lupi - Parte 2

Matéria de Otacílio Rodrigues

Relendo a matéria aí de baixo em busca de erros de links e de ortografia (sim, leitores, eu sempre faço isso), me passou pela cabeça um episódio que faz parte da biografia política não-oficial da presidente Dilma.

Quem ainda se lembra de Lina Vieira, ex-Secretária da Receita Federal, que afirmou, em 2009, ter recebido um pedido da então Ministra da Casa Civil Dilma Rousseff para que ela que agilizasse (ou seja, encerrasse) investigações sobre empresas da família Sarney?

Se você lembra do caso, não deve ter esquecido que Dilma negou enfaticamente, desde o primeiro instante, que tivesse convocado Lina para uma reunião fora da agenda de trabalho, que tivesse feito o pedido e, principalmente, que tivesse havido o tal encontro.

Lina deu detalhes da sua ida ao Planalto, reproduziu os diálogos entre ela e a ministra (já pré-candidata à presidência da República), disse que entrou pela garagem do palácio a tal hora aproximada, que subiu o elevador do palácio a tal hora aproximada, que saiu do elevador e foi vista por fulano e sicrano a tal hora aproximada e que tudo deveria estar gravado nas câmeras de segurança.

Dilma (apoiada por Lula) continuou negando e quando a oposição pediu as gravações das câmeras de segurança, o encarregado do setor disse que elas já haviam sido apagadas. Um dos funcionários que viram a chegada de Lina no palácio aceitou prestar depoimento na Câmara dos Deputados, mas desistiu na última hora, alegando que estava sofrendo ameaças.

Já sabendo que Lina estava de mudança para Natal (depois de perder o cargo na Receita Federal) e que provavelmente teria dificuldade em encontrar a sua agenda do ano anterior (o encontro teria ocorrido em 2008), Lula cobrou da ex-secretária as anotações que comprovariam a data exata em que ela esteve com Dilma.


Lina e Dilma (Fotos Agência Estado e Folha Imagem)

Enquanto a ex-secretária procurava a agenda perdida - que conteria a prova exigida por Lula -, a vida seguia o seu curso no Planalto Central, prenunciando o esquecimento do caso Lina Vieira.

Acontece que, dois meses depois, Lina encontra a sua agenda e revela as informações que Lula e Dilma duvidavam que ela tivesse. A ex-secretária da Receita fez a seguinte anotação no dia 9 de outubro de 2008, logo em seguida à reunião com Dilma:

"Dar retorno à ministra sobre família Sarney."

Lina confirmou que a reunião foi no final da manhã, próximo ao horário do almoço, fora da relação de compromissos oficiais da ministra. Detalhe: nessa data, há de fato registro no Planalto da entrada de Lina. Bingo!

E o que tudo isso tem a ver com o caso Lupi? Além das semelhanças de, digamos, conduta entre Dilma e Lupi, tem também o fato de que o PDT apoiou Dilma contra Lina Vieira, como comprova uma declaração do então senador Osmar Dias, na época pré-candidato do PDT ao governo do Paraná, que disse "acreditar na palavra da ministra, que sempre negou a reunião com a ex-secretária".

Ou seja, dois anos depois, Dilma estaria retribuindo agora o apoio do PDT - partido comandado por Lupi - durante o episódio Lina Vieira, que é, como vimos, muito parecido com o atual caso envolvendo o ainda ministro do Trabalho e o diretor de ONGs Adair Meira.

Para encerrar, reproduzo a declaração oficial da então Ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, sobre a acusação da ex-Secretária da Receita Federal, Lina Vieira, em agosto de 2009:

"Eu tenho uma relação absolutamente protocolar com a secretária. Tive esta relação ao longo do processo, tive reuniões com pessoas presentes, nunca foi sobre esse assunto e sinto muito que a secretária da Receita tenha ido a público dizer isso. A segunda questão que eu queria destacar é a seguinte: a gente não, não afirma, a gente prova. Nós não estamos na Idade Média em que se prova a veracidade de uma coisa por ênfase".

Para escrever esta matéria, utilizei as seguintes fontes: Jornal da Globo, Blog do Reinaldo Azevedo, Folha.com (só para assinantes da Folha/UOL) e Veja.

Publicado no Resende Afora.

Marcadores:

Share

3 Comments:

At 20/11/11 20:45, Blogger Fernando Lemos said...

E-X-C-E-L-E-N-T-E, Otacílio. Esta matéria demonstra o grande jornalista que se escondde atrás do magnífico fotógrafo. Jornalismo de pesquisa de primeira linha. Devia ser enviado ao Reinaldo Azevedo, Augusto Nunes e à própria Veja. Muito bom mesmo. Posso rreproduzir pelo net afora?

Forte Abraço e...

Namastê.

 
At 20/11/11 21:09, Blogger Otacílio Rodrigues said...

Claro, grande Fernando! Fique à vontade para reproduzi-la net afora. Muitíssimo obrigado pelos elogios, um grande abraço e... Namastê!

 
At 20/11/11 21:47, Blogger Fernando Lemos said...

Compartilhado e Tuittado!!! Vai pro meu blog também!!! Muito bom mesmo. É um incentivo pra quem quer fazer jornalismo sério. Obrigado Otacílio. Você está me dando novo ânimo.

 

Postar um comentário

<< Home